Fatores associados ao desenvolvimento de ansiedade e depressão em estudantes de Odontologia

Autores

  • Cléa Adas Saliba Garbin Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP)
  • Luis Felipe Pupim dos Santos Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP)
  • Artênio José Saliba Garbin Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium Medicina, Araçatuba-SP.
  • Artênio José Ísper Garbin Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP)
  • Tânia Adas Saliba Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP)
  • Orlando Saliba Faculdade de Odontologia de Araçatuba (UNESP)

DOI:

https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v21i1.1086

Palavras-chave:

Depressão. Ansiedade. Estudantes de Odontologia. Qualidade de Vida.

Resumo

O objetivo desta pesquisa foi avaliar os estudantes de uma faculdade pública de Odontologia localizada no Brasil, no que diz respeito à ansiedade e depressão, relacionando os escores de cada transtorno com as características pessoais, acadêmicas, e socioeconômicas dos discentes. Trata-se de um estudo transversal, no qual participaram 423 estudantes de Odontologia. Foram entregues três instrumentos de avaliação a serem preenchidos, sendo eles o Inventário de Ansiedade de Beck (BAI), Inventário de Depressão de Beck (BDI), e um questionário para registro do perfil de cada estudante. Os testes de Mann Whitney e Kruskal Wallis foram utilizados para comparação dos escores entre os grupos. O valor médio dos escores de ansiedade e depressão foram, respectivamente, 15,21±10,78 e 12,08±8,38. Ser calouro, não praticar atividades físicas, ser ateu ou agnóstico, utilizar redes sociais por mais de três horas diárias, vontade de desistir da Odontologia em algum momento do curso, ter procurado ajuda psicológica profissional durante o curso e ter baixa renda foram considerados fatores que resultaram em escores mais elevados de ansiedade e depressão nos universitários. A sintomatologia de depressão e ansiedade foi verificada nos discentes, sendo que características pessoais e acadêmicas podem influenciar em sua saúde mental.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

(1) Vasconcelos TC, Dias BRT, Andrade LR, Melo GF, Barbosa L, Souza E. Prevalência de sintomas de ansiedade e depressão em estudantes de medicina. Rev Bras Educ Med. 2015; 39(1):135-42.

(2) Catunda MAP, Ruiz VM. Qualidade de vida de universitários. Pensam Plur. 2008; 2(1):22-31.

(3) Andrade JV, Pereira LP, Vieira PA, Silva JVS, Silva AM, Bonisson M, et al. Ansiedade: um dos problemas do século XXI. Rev Saúde ReAGES. 2019; 2(4):34-9.

(4) Barros MBA, Lima MG, Azevedo RCS, Medina LBP, Lopes CS, Menezes PR, et al. Depressão e comportamentos de saúde em adultos brasileiros: PNS 2013. Rev Saúde Pública. 2017; 51(suppl 1):1.

(5) Victoria MS, Bravo A, Felix AK, Neves BG, Rodrigues CB, Ribeiro CCP, et al. Níveis de ansiedade e depressão em graduandos da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Encontro Rev Psicol. 2013; 16(25):163-75.

(6) Madhan B, Barik AK, Patil R, Gayathri H, Reddy MSR. Sense of humor and its association with psychological disturbances among dental students in India. J Dent Educ. 2013; 77(10):1338-44.

(7) Porta AN. a dictionary of epidemiology. 6. ed. New York: Oxford University Press, 2014.

(8) Beck AT, Brown G, Epstein N, Stter RA. An inventory for measuring clinical anxiety: psychometric properties. J Consult Clin Psychol. 1988; 56(6):893-97.

(9) Beck AT, Ward CH, Meldenson M, Mock J, Erbauch G. An inventory for measuring depression. Arch Gen Psychiatry. 1961;4:561-71.

(10) Cunha JA. Manual da versão em português das Escalas Beck. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2001.

(11) Santos BRM, Gonzales PS, Carrer FCA, Araújo ME. Perfil e expectativas dos ingressantes da Faculdade de Odontologia da USP: uma visão integrada com as diretrizes curriculares nacionais e o sistema único de saúde. Rev ABENO. 2015; 15(1):28-37.

(12) Teixeira MAP, Dias ACG; Wottrich SH, Oliveira AM. Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicol Esc Educ. 2008; 12(1):185-202.

(13) Costa PHV, Silva FS, Machado CJ. Nível de atividade física e qualidade de vida dos estudantes de fisioterapia de uma instituição privada de ensino superior. Rev Interdiscip Ciênc Méd. 2018; 1(2):46-53.

(14) Silva DAS. Indicadores do estilo de vida e autoavaliação negativa de saúde em universitários de uma instituição pública do nordeste do Brasil. Rev Bras Ativ Fis Saúde. 2012; 17(4):263-69.

(15) Mira P, Martins J, Zambonini G, Oliveira SA, Aires CP. Contribuição de monitores de graduação nas atividades do coral da USP Ribeirão Preto: o trabalho nos bastidores. Rev Grad USP. 2018; 3(1):83-90.

(16) Pinto NLS, Fernandes LM, Silva FF. Para além da formação acadêmica: as contribuições da iniciação científica para o desenvolvimento pessoal e profissional de estudantes da área de administração. RAEP. 2016; 17(2):301–25.

(17) Esperandio MRG, Escudero FT, Fanini L, Macedo EPN. Envelhecimento e espiritualidade: o papel do coping espiritual/religioso em pessoas idosas hospitalizadas. Interaçao psicol. 2019;23(2):268-80.

(18) Seleghim MR, Mombelli MA, Oliveira MLF, Waidman MAP, Marcon SS. Sintomas de estresse em trabalhadoras de enfermagem de uma unidade de Pronto Socorro. Rev Gaúcha Enferm. 2012; 33(3):165-73.

(19) Moromizato MS, Ferreira DBB, Souza LSM, Leite RF, Macedo FN, Pimentel D. O uso de internet e redes sociais e a relação com indícios de ansiedade e depressão em estudantes de medicina. Rev Bras Educ Med. 2017; 41(4):497-504.

(20) Mazhari S. The prevalence of problematic internet use and the related factors in medical students, Kerman, Iran. Addict Health. 2012; 4(3-4):87-94.

(21) Christakis DA. Internet addiction: a 21st century epidemic? BMC Med. 2010; 8:61.

(22) Ko CH, Yen JY, Yen CF, Chen CS, Chen CC. The association between internet addiction and psychiatric disorder: A review of the literature. Eur Psychiatry. 2012; 27(1):1-8.

(23) Menezes PP. O virtual, o homem e a Psicanálise. Rev Reverie. 2012; 5(1):100-9.

(24) Dong G, Lu Q, Zhou H, Zhao X. Precursor or sequela: pathological disorders in people with internet addiction disorder. PLoS One. 2011; 6(2):e14703.

(25) Guimarães AMV, Silva Neto AC, Vilar ATS, Almeida BGC, Albuquerque CMF, Fermoseli AFO. Transtornos de ansiedade: um estudo de prevalência sobre as fobias específicas e a importância da ajuda psicológica. Ciênc Biol Saúde. 2015; 3(1):115-28.

(26) Neves MCC, Dalgalarrondo P. Transtornos mentais auto-referidos em estudantes universitários. J Bras Psiquiatr. 2007; 56(4):237-44.

(27) McLafferty M, Lapsley CR, Ennis E, Armour C, Murphy S, Bunting BP, et al. Mental health, behavioural problems and treatment seeking among students commencing university in Northern Ireland. PLoS One. 2017; 12(12):e0188785

(28) Mondardo AH, Pedon EA. Estresse e desempenho acadêmico em estudantes universitários. Rev Ciênc Hum. 2005; 6(6):159-80

Publicado

30-03-2021

Como Citar

Garbin, C. A. S., dos Santos, L. F. P., Garbin, A. J. S., Garbin, A. J. Ísper, Saliba, T. A., & Saliba, O. (2021). Fatores associados ao desenvolvimento de ansiedade e depressão em estudantes de Odontologia. Revista Da ABENO, 21(1), 1086. https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v21i1.1086

Edição

Seção

Artigos