Número de cirurgiões-dentistas e PIB per capita nos municípios paraibanos com cursos de graduação em Odontologia

Juliane Alves de Sousa, Thamyres Maria Silva Simões, Maria Helena Chaves de Vasconcelos Catão

Resumo


O objetivo deste estudo foi relacionar a distribuição dos cursos de Odontologia, número de cirurgiões-dentistas (CD) e  PIB per capita em municípios paraibanos com cursos de graduação em Odontologia. Trata-se de um estudo transversal descritivo com utilização de dados coletados diretamente dos sites do Conselho Federal de Odontologia, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística e do Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Ensino Superior. Todos os dados utilizados nesta pesquisa são de acesso público. A Paraíba possui 16 cursos de graduação em Odontologia, distribuídos em 6 munícipios: Araruna (1; 6,25%), Cabedelo (1; 6,25%), Cajazeiras (2; 12,50%), Campina Grande (6; 37,50%), João Pessoa (4; 25,00%) e Patos (2; 12,50%). Os municípios com maiores valores de PIB per capita, como João Pessoa (R$24.319,82) e Campina Grande (R$21.077,30), apresentaram também maior número de CD, com uma correlação positiva entre os valores do PIB per capita de cada município e a quantidade de cursos e profissionais. Apesar disso, Cabedelo, município paraibano com apenas um curso de Odontologia, sendo este na rede privada, e 126 CDs em atividade, tem o maior PIB per capita do estado (R$ 42.556,16). O PIB per capita parece ser responsável pela distribuição de CDs nos municípios com cursos de graduação em Odontologia, no entanto, fatores como qualidade de vida, mercado de trabalho e saúde, tendem a exercer forte influência na distribuição destes profissionais.


Palavras-chave


Faculdades de Odontologia. Odontologia. Desenvolvimento Econômico.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Brasil. Lei n. 5.081, de 24 de agosto de 1966. Regula o exercício da Odontologia. Diário Oficial da União. [Acesso em: 18 de junho, 2020]. Disponível em: http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L5081.htm.

Chaves SCL, Almeida AMFL, Reis CS, Rossi TRA, Barros SG. Política de Saúde Bucal no Brasil: as transformações no período 2015-2017. Saúde Debate. 2018;42(spe2):76-91.

Lucietto DA, Amâncio Filho A, Oliveira SP. Revisão e discussão sobre indicadores para a previsão de demanda por cirurgiões-dentistas no Brasil. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2008;49(3):28-35.

Figueirêdo Jr EC, Uchôa NC, Pereira JV. Análise e caracterização do panorama da distribuição de cirurgiões-dentistas no Brasil. Arch Health Invest. 2019;8(2):63-7.

Paranhos L, Ricci I, Scanavini M, Bérzin F, Ramos A. Análise do mercado de trabalho odontológico na região Sul do Brasil. RFO UPF. 2009;14(1):7-13.

San Martín AS, Chisini LA, Martelli S, Sartori LRM, Ramos EC, Demarco FF. Distribuição dos cursos de Odontologia e de cirurgiões-dentistas no Brasil: uma visão do mercado de trabalho. Rev ABENO. 2018;18(1):63-73.

CFO. Conselho Federal de Odontologia. CFO reforça necessidade do Ministério da Educação suspender autorizações para abertura de novos cursos de odontologia. [Acesso em: 18 de junho, 2020]. Disponível em: http://website.cfo.org.br/cfo-reforca-necessidade-do-ministerio-da-educacao-suspender-autorizacoes-para-abertura-de-novos-cursos-de-odontologia/.

Vinhais HEF. Estudo sobre o Impacto da Expansão das Universidades Federais no Brasil [Tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2013. 246 p. Doutorado em Economia.

Rezende MCRA, Rossini Neto MJ, Limírio JPJO. Sociologia da Odontologia: aspectos da densidade da relação habitante/cirurgião-dentista/PIB per capita em municípios do interior paulista com cursos de graduação em Odontologia. Arch Health Invest. 2019;7(11):497-501.

Lima FN de, Silva JB da, Pereira TMS. Expansão territorial urbana nos polos educacionais do semiárido paraibano. Bol Geogr. 2017;35(2):18-30.

CFO. Conselho Federal de Odontologia. [Acesso em: 29 de abril, 2020]. Disponível em: http://website.cfo.org.br/dados-estatisticos-de-profissionais-e-entidades-ativas-por-ano/.

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. [Acesso em: 29 de abril, 2020]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/.

Ministério da Educação. Cadastro Nacional de Cursos e Instituições de Educação Superior: Cadastro e-MEC. [Acesso em: 29 de abril, 2020]. Disponível em: https://emec.mec.gov.br/.

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Estados. [Acesso em: 29 de abril, 2020]. Disponível em: http://ibge.gov.br/ estadosat/.

IBGE: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística: Cidades. [Acesso em: 29 de abril, 2020]. Disponível em: https:// cidades.ibge.gov.br/.

Pinto VG. Saúde bucal no Brasil. Rev de Saúde Pública. São Paulo. 1983;17:316-27.

Cardoso AL, Vieira ALS, Medeiros UV. Desequilíbrio quantitativo na formação de odontólogos no Brasil: trajetória de 1995 a 2005. Rev Bras Odontol. 2017;74(1):114-9.

Gabardo MCL, Ditterich RG, Cubas MR, Moysés ST, Moysés SJ. Inequalities in the workforce distribution in the Brazilian Dentistry. Rev Gauch Odontol. 2017;65(1):70-6.

Mathias M, Casani E, Meira Sagaz S, Lucietto D. Cirurgiões-dentistas e faculdades no Brasil: repercussões sobre a prática odontológica. J Oral Investig. 2015;4(2):25-31.

Palmier A, Andrade D, Campos A, Abreu M, Ferreira E. Indicadores socioeconômicos e serviços odontológicos em uma região Distribuição dos cursos de Odontologia e de cirurgiões-dentistas no Brasil: uma visão do mercado de trabalho. Rev Panam Salud Publica. 2012; 32(1):22-9.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v21i1.1134

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274