Conhecimento e utilização do Biobanco de Dentes Humanos pela comunidade acadêmica do curso de Odontologia da UFPR

Autores

  • Patricia Larissa Gebauer Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Lucas Antico Dunaiski Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Idalina Marly da Luz Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Yasmine Mendes Pupo Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Ivana Froede Neiva Universidade Federal do Paraná (UFPR)
  • Andresa Carla Obici Universidade Federal do Paraná (UFPR)

DOI:

https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1255

Palavras-chave:

Dente, Ética Odontológica, Educação em Odontologia, Pesquisa em Odontologia.

Resumo

O objetivo deste estudo foi analisar o perfil dos usuários do Biobanco de Dentes Humanos da Universidade Federal do Paraná (BDH-UFPR), os serviços mais procurados, se há utilização de dentes obtidos externamente e o grau de satisfação dos usuários. Para isso, foi aplicado um questionário eletrônico semiestruturado à comunidade interna do curso de Odontologia da UFPR, entre agosto e dezembro de 2019. Um total de 300 questionários foram respondidos, sendo 263 por estudantes de graduação, 4 por pós-graduandos, 24 por professores e 9 por servidores técnico-administrativos. A maioria dos estudantes era do sexo feminino entre 17 e 22 anos, enquanto para os servidores (professores e técnicos) houve uma distribuição semelhante entre os sexos na faixa etária entre 40 e 59 anos. Embora 80,99% dos discentes afirmaram conhecer o BDH-UFPR, apenas 50,19% usaram seus serviços e 59,32% relataram já terem buscado dentes externamente. O serviço mais utilizado foi o empréstimo de dentes para atividades de ensino, porém apenas 42,15% os devolveram após o uso. Os dentes obtidos externamente foram provenientes, principalmente, de consultórios particulares e apenas 56,33% dos alunos relataram sempre ter submetido-os à desinfecção/esterilização, sendo a autoclave o método mais indicado. Todos os servidores conheciam o BDH-UFPR e, dentre os professores, a maioria realizou tanto empréstimos quanto doações. Os empréstimos tiveram como principal finalidade a pesquisa e 63,6% relataram terem devolvido os dentes. Quanto à satisfação, a comunidade acadêmica mostrou-se predominantemente totalmente satisfeita. Por fim, ressalta-se a necessidade de ampliar as ações de conscientização para a comunidade acadêmica quanto aos aspectos éticos, legais e de biossegurança na aquisição e manipulação de dentes humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Patricia Larissa Gebauer, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Acadêmica do curso de odontologia da UFPR

Lucas Antico Dunaiski, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Acadêmico do curso de odontologia da UFPR

Idalina Marly da Luz, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Enfermeira do Biobanco e Dentes Humanos da UFPR

Yasmine Mendes Pupo, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora Adjunta do Departamento de Odontologia Restauradora

Área de Prótese Dentária e Pacientes com Necessidade Especiais

Ivana Froede Neiva, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora Associada do Departamento de Odontologia Restauradora

Área de Materiais Dentários

Andresa Carla Obici, Universidade Federal do Paraná (UFPR)

Professora Associada do Departamento de Odontologia Restauradora

Área Materiais Dentários

Referências

(1) Costa SM, Ferreira SM, Pires CPAB, Otoni AFBB, Freitas DM, Popoff DAV. Banco de dentes humanos: legalidade, ética e biossegurança. Rev Intercâmbio. 2017; 8:1-15.

(2) Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.201, de 14 de setembro de 2011. Estabelece as diretrizes nacionais para Biorrepositório e Biobanco de material biológico humano com finalidade de Pesquisa. [Acesso em 10 jul. 2019]. Disponível em: bvsms.saude.gov.br/bvs/ saudelegis/gm/2011/prt2201_14_09_2011.html.

(3) Pereira DQ. Banco de dentes humanos no Brasil: revisão de literatura. Rev ABENO. 2012;12(2):178-84.

(4) Freitas ABDA, Pinto SL, Tavares EP, Barros LM, Castro CDL, Magalhães CS. Uso de dentes humanos extraídos e os bancos de dentes nas instituições brasileiras de ensino de odontologia. Pesqui Bras Odontopediatria Clin Integr. 2012;12(1):59-64.

(5) Endo MS, Silva IRG, da Silva MC, Terada RSS, Rocha NB. A importância do banco de dentes humanos: relato de experiência. Arch Health Invest. 2017;6(10):486-90.

(6) Chalisserry EP, Nam SY, Park SH, Anil S. Therapeutic potential of dental stem cells. J Tissue Eng. 2017;8:1-7.

(7) Brasil. Lei nº 9.434 de 4 de fevereiro de 1997. Dispõe sobre a remoção de órgãos, tecidos e partes do corpo humano para fins de transplante e tratamento e dá outras providências. [Acesso em 15 out. 2018]. Disponível em: https://www.planalto. gov.br/ccivil_03/leis/l9434.htm.

(8) Nassif ACS, Tieri F, da Ana PA, Botta SB, Imparato JCP. Estruturação de um banco de dentes humanos. Pesq Odontol Bras. 2003;17(supl 1):70-4.

(9) Ghiggi LD, Dallanora LMF. Implantação do banco de dentes humanos (BDH) do curso de Odontologia da Universidade do Oeste de Santa Catarina. Ação Odonto. 2014;2:61-71.

(10) Miranda GE, Bueno FC. Banco de dentes humanos: uma análise bioética. Rev Bioet. 2012;20(2):255-66.

(11) Begosso MP, Imparato JCP, Duarte DA. Estágio atual da organização dos bancos de dentes humanos nas faculdades de Odontologia do território brasileiro. RPG Rev Pos-Grad. 2001;8(1):23-8.

(12) Medeiros MCS, Costa ICC, Silva EM, Silva LCA, Santos DA, Paiva DFF. Conhecimento de docentes e discentes de um curso de Odontologia sobre os aspectos legais que envolvem a utilização de dentes humanos extraídos. Rev ABENO. 2020;20(1):13-25.

(13) Nassri MR, Carlik J, da Silva CR, Okagawa RE, Lin S. Critical analysis of artificial teeth for endodontic teaching. J Appl Oral Sci. 2008;16(1):43-9.

(14) Luz DS, Ourique FS, Scarparo RK, Vier-Pelisser FV, Morgental RD, Waltrick SBG et al. Preparation time and perceptions of Brazilian specialists and dental students regarding simulated root canals for endodontic teaching: a preliminary study. J Dent Educ. 2015;79(1):56-63.

(15) Mendes JS, Montagner F, de Melo TAF, Luisi SB. Avaliação de dentes monorradiculares artificiais utilizados para treinamento endodôntico. Rev Odontol UNESP. 2020;49:e20200018.

(16) Bitter K, Gruner D, Wolf O, Schwendicke F. Artificial versus natural teeth for preclinical endodontic training: a randomized controlled trial. J Endod. 2016;42(8):1212-7.

(17) da Silva IB, Ferreira TT, da Silva EGF, Barros ABA, Franco LLMM, Silva BSF et al. Percepção de docentes de Odontologia sobre o uso de dentes humanos como recurso educativo em atividades pré-clínicas. Rev ABENO. 2020;20(2):57-63.

(18) Costa SM, Mameluque S, Brandão EL, Melo AEMA, Pires CPAB, Rezende EJC et al. Denteshumanos no ensino odontológico: procedência, utilização, descontaminação, e armazenamento pelos acadêmicos da Unimontes. Rev ABENO. 2007;7(1):7-12.

(19) Felipe EF, da Costa GBM, Jank Junior N, da Costa JA. Aspectos éticos da obtenção de dentes por estudantes de uma graduação em Odontologia. Rev Bioét. 2014; 22(1):171-5.

(20) Deogade SC, Mantri SS, Saxena S, Sumathi K. Awareness and knowledge of undergraduate dental students about sterilization/disinfection methods of extracted human teeth. Ann Med Health Sci Res. 2016;6(6):348-55.

(21) Sethi AK, Samal R, Lahiri B, Das A, Kumar G, Behera S. Awareness, attitude and practice regarding disinfection and handling of extracted teeth among the students in a Dental College in India. J Int Soc Prev Community Dent. 2018;8(6):488-94.

(22) Demenech LS, Tomazinho FSF, Tomazinho PH, Gabardo MCL, Baratto-Filho F. Avaliação de métodos de manutenção da esterilidade do órgão dental humano extraído para armazenamento em banco de dentes. Rev ABENO. 2017;17(3):55-65.

(23) Brasil. Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços odontológicos: prevenção e controle de riscos. Brasília: ANVISA; 2006. [Acesso em 12 mar. 2019]. Disponível em: https://www.anvisa.gov.br/servicosaude/manuais/manual_odonto.pdf.

(24) Gadonski AP, Maran BM, De Andrade GS, Naufel FS, Schmitt VL. Avaliação do efeito de soluções de armazenamento sobre a resistência da união adesiva à dentina de dentes bovinos sob microcisalhamento - pesquisa in vitro. Rev Odontol UNESP. 2018; 47(6): 354-9.

(25) Moreira L, Genari B, Stello R, Collares FM, Samuel SMW. Banco de Dentes Humanos para o ensino e pesquisa em Odontologia. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2009;50(1):34-7.

Publicado

20-11-2021

Como Citar

Gebauer, P. L., Dunaiski, L. A., Luz, I. M. da, Pupo, Y. M., Neiva, I. F., & Obici, A. C. (2021). Conhecimento e utilização do Biobanco de Dentes Humanos pela comunidade acadêmica do curso de Odontologia da UFPR. Revista Da ABENO, 21(1), 1255. https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1255

Edição

Seção

Artigos