Ações extensionistas de promoção da saúde bucal em comunidades atendidas pela Pastoral da Criança em Londrina/PR

Autores

  • Lucas Fernando Oliveira Tomaz Ferraresso Universidade Estadual de Londrina
  • Sabrina Santana Cassemiro Universidade Estadual de Londrina
  • Lirian Adriana Maria Pereira da Silva Universidade Estadual de Londrina
  • Maura Sassahara Higasi Universidade Estadual de Londrina
  • Maria Luiza Hiromi Iwakura Kasai Universidade Estadual de Londrina
  • Helion Leao Lino Junior Universidade Estadual de Londrina
  • Wagner José Silva Ursi Universidade Estadual de Londrina

DOI:

https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1578

Palavras-chave:

Saúde Bucal, Educação em Saúde, Promoção da Saúde.

Resumo

Trata-se de um estudo de caráter descritivo, do tipo relato de experiência, que tem por objetivo descrever as ações extensionistas desenvolvidas pelo projeto “Saúde Bucal em Escolares e a Comunidade” da Universidade Estadual de Londrina em Pastoral da Criança. Essas atividades foram desenvolvidas no ano de 2019, aos sábados, em datas previamente definidas pelas coordenadoras das próprias instituições. Num primeiro momento foram realizadas rodas de conversa com as mães, gestantes e cuidadores, com temáticas referentes ao rico valor do aleitamento materno, esclarecimentos sobre o uso de chupetas e alimentação saudável. Num momento posterior, sob a supervisão dos responsáveis, foi efetuada a higienização da cavidade bucal dos bebês. Para as crianças, foi executada a escovação supervisionada individual ou coletiva. Além disso, foram compartilhadas informações referentes à técnica de escovação correta, frequência de escovação ao dia e quantidade ideal de dentifrício. Essas ações contaram com a participação de gestantes, mães, cuidadores, bebês e crianças, totalizando cerca de 1241 pessoas em 19 comunidades assistidas pela Pastoral da Criança, localizadas em Londrina/PR. Dessa forma, as ações extensionistas em Pastoral da Criança revelaram-se cenários oportunos para compartilhar saberes, intercambiar experiências, melhorar a qualidade de vida e bem-estar dos diversos e heterogêneos públicos-alvo. Representaram espaços reais e favoráveis para os estudantes desenvolverem competências e habilidades requisitadas para a formação contextualizada e integral.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Fernando Oliveira Tomaz Ferraresso, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Curso de Graduação em Odontologia, Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Sabrina Santana Cassemiro, Universidade Estadual de Londrina

Discente do Curso de Graduação em Odontologia, Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Lirian Adriana Maria Pereira da Silva, Universidade Estadual de Londrina

Técnica em Saúde Bucal, Curso de Odontologia, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Maura Sassahara Higasi, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Maria Luiza Hiromi Iwakura Kasai, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Helion Leao Lino Junior, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Medicina Oral e Odontologia Infantil, Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Wagner José Silva Ursi, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Odontologia Restauradora, Universidade Estadual de Londrina

Referências

(1) Pastoral da Criança [internet]. Estatuto da Pastoral da Criança [Acesso em 20 abr. 2020]. Disponível em: https://www.pastoraldacrianca.org.br/categoria-institucional/68-estatuto.

(2) Pastoral da Criança. Lições da Pastoral da Criança: entrevista com Zilda Arns Neumann. Estud Avanç. 2003; 17(48):63-75.

(3) Costa MT. Pensando o Brasil: discurso religioso e prática social segundo Zilda Arns. Estud Hist. 2015;28(55):151-68.

(4) Szwarcwald CL, Castilho EA. Estimativas da mortalidade infantil no Brasil, década de oitenta: proposta de procedimento metodológico. Rev Saúde Públ. 1995;29(6):451-62.

(5) Costa MOE. Corpos, cruzes e ressurreições: um estudo fenomenológico das experiências do cotidiano de mulheres líderes da Pastoral da Criança. São Cristóvão. Dissertação [Mestrado em Ciências da Religião] - Universidade Federal de Sergipe; 2017.

(6) Pastoral da Criança [homepage na internet]. Promovendo a vida plena para todas as crianças [Acesso em 20 abr. 2020]. Disponível em: https://www.pastoral dacrianca.org.br/images/stories/pdf/JornalAbrangencia2008.pdf.

(7) Pastoral da Criança [homepage na internet]. Voluntariado: benefício para todos! [Acesso em 20 abr. 2020]. Disponível em: https://www.pastoraldacriança.org.br/instituicional/voluntariado-beneficio-para-todos.

(8) Carvalho VD, Souza W. Pobres no ter, ricos no ser: trabalho voluntário e motivação na Pastoral da Criança. Rev Adm Contemp. 2007;11(2):113-34.

(9) Pastoral da Criança. Guia do líder da Pastoral da Criança: para países de língua portuguesa [internet]. Curitiba: Calgan; 2018. [Acesso em 22 abr. 2020]. Disponível em https://www.pastoraldacrianca.org.br/ images/materiaiseducativos/guia-do-lider-2015-ed-18.pdf.

(10) Queiroz SMPL, Moysés SJ, França BHS, Bisinelli JC, Moysés ST. Paths for promoting oral health: capacitation among leaders of the Children’s Pastoral Mission of the Catholic Church in Brazil. Interface (Botucatu). 2010;14(34):619-32.

(11) Essvein G, Baumgarten A, Rech RS, Hilgert JB, Neves M. Dental care for early childhood in Brazil: from the public policy to evidence. Rev Saúde Públ. 2019;53:15.

(12) Mathur VP, Dhillon JK. Dental Caries: A disease which needs attention. Indian J Pediatr. 2018;85(3):202‐6.

(13) Mendes TDMC, Ferreira TLDS, Carvalho YDM, Silva LGD, Souza CMCDL, Andrade, FBD. Contribuições e desafios da integração ensino-serviço-comunidade. Texto Contexto Enferm. 2020;29: e20180333.

(14) Siqueira SMC, Jesus VSD, Santos ENBD, Whitaker MCO, Sousa BVN, Camargo CLD. Atividades extensionistas, promoção da saúde e desenvolvimento sustentável: experiência de um grupo de pesquisa em enfermagem. Esc Anna Nery. 2017;21(1):e20170021.

(15) Moimaz SAS, Bordin D, Gomes AM de P, Fadel CB, Garbin CAS, Saliba NA. Extensão universitária na ótica de acadêmicos: o agente fomentador das Diretrizes Curriculares Nacionais. Rev ABENO. 2015;15(4):45-54.

(16) Brasil. Ministério da Educação. Parecer CNE/CES n.803/2018, de 05 de dezembro de 2018. Aprova Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia. Brasília, DF: Ministério da Educação; 2018.

(17) Ferraresso LFOT, Codato LAB. Aprendizados e reflexões advindos de atividade extensionista de educação em saúde em Centros de Educação Infantil. Rev Ciênc Plural. 2021;7(2):132-48.

(18) Silva FO da, Marques RM. Espaço escolar sob a visão das crianças: narrativas, percepções e representações. Ver Tempos Espaços Educ. 2020;13(32):1-19.

(19) World Health Organization. The optimal duration of exclusive breastfeeding: a systematic review. Geneva: WHO; 2001.

(20) Menezes RR de, Coelho AS, Lobo MRG. A importância da amamentação na formação de vínculos afetivos saudáveis entre mamãe/bebê. Rev Bol Inf Uni Soc- BIUS. 2019;12(5):1-15.

(21) Ardic C, Usta O, Omar E, Yıldız C, Memis E. Efectos de las prácticas alimentarias durante la lactancia y de las características maternas en la obesidad infantil. Arch Argent Pediatr. 2019;117(1):26‐33.

(22) Carrascoza KC, Possobon R da F, Ambrosano GMB, Costa Júnior ÁL, Moraes ABA. Fatores determinantes do uso de chupeta entre crianças participantes de programa de incentivo ao aleitamento materno. Rev CEFAC. 2014;16(2):582-91.

(23) Sociedade Brasileira de Pediatria. Uso de chupeta em crianças amamentadas: prós e contras. Guia prático de atualização. Departamento Científico de Aleitamento Materno. 2017, n.3, 1-16.

(24) Cabral MBBS, Mota ELA, Cangussu MCT, Vianna MIP. Situação de saúde bucal de crianças na primeira infância em creches de Salvador, Bahia. Rev Baiana Saúde Pública. 2017;41(3):595-613.

(25) Paula BA, Freire-Maia J, Júnior PAM, Freire-Maia FB. Introdução precoce da sacarose está associada à presença de cárie dentária em bebês. Arq Odontol. 2019;55:e12.

(26) Brasil. Ministério da Saúde. Guia alimentar para crianças brasileiras menores de 2 anos [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2019 [Acesso em 22 abr. 2020]. Disponível em http://189.28.128.100/dab/ docs/portaldab/publicacoes/guia_da_crianca_2019.pdf.

(27) Santili PGJ, Rocha Tonhom SF, Marin MJS. Educação em saúde: algumas reflexões sobre sua implementação pelas equipes da estratégia saúde da família. Rev Bras Promoç Saúde. 2017;29:102-10.

(28) Codato LAB, Garanhani MLG, González AD. Percepções de profissionais sobre o aprendizado de estudantes de graduação na Atenção Básica. Physis. 2017;27(3):605-19.

(29) Falkenberg MB, Mendes TPL, Moraes EP de, Souza EM de. Educação em saúde e educação na saúde: conceitos e implicações para a saúde coletiva. Ciênc. Saúde Colet. 2014;19(3):847-852.

(30) Iglesias LM. Avaliação das ações educativa-preventivas em crianças para o controle da placa bacteriana oriundas de projetos sociais. São Paulo. Tese de doutorado - Universidade Paulista; 2018.

(31) Emmi DT, Barroso RFF. A Biodiversidade Amazônica na promoção da saúde bucal: Elaboração de evidenciador de placa dental utilizando os corantes do açaí e urucum e a análise comparativa de sua eficácia em relação aos corantes sintéticos. Belém. Trabalho de Conclusão de Curso [Graduação em Odontologia] - Universidade Federal do Pará; 2001.

(32) Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas da Saúde [internet]. Qual a melhor técnica para escovar os dentes? Um estudo intitulado análise dos métodos de escovação dentária recomendados por associações odontológicas. [Acesso em 10 jul. 2021]. Disponível em: http://www.apcd-saude.org.br/detNot.asp?id=1526&moda=&contexto=&area=008&evento=.

(33) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde Bucal. Cadernos de Atenção Básica, n. 17 [Internet]. Brasília: Ministério da Saúde; 2006 [Acesso em 15 jul. 2021]. Disponível em: http://cfo.org.br/wp-content/uploads/2009/10/cadernos_de_aten%C3%A7%C3%A3o_b%C3%A1sica_sa%C3%BAde_bucal.pdf.

(34) Hanna LMO, Nogueira AJDS, Honda VYS. Percepção das gestantes sobre a atenção odontológica precoce nos bebês. RGO. 2007;55(3):271-4.

(35) Cameron AC, Widmer RP, editores. Manual de odontopediatria [Internet]. Rio de Janeiro: Elsevier; 2012 [Acesso em 9 jul. 2021]. Disponível em: https:// docero.com.br/doc/n555v5.

(36) Jagher AC, Ripplinger T, Pinto GS, Schardosim LR. Avaliação da utilização de dentifrício fluoretado em crianças. RFO. 2016;21(1):37-42.

(37) Sociedade de Pediatria de São Paulo [homepage na internet]. Uso de pasta, fio dental, verniz de flúor e selante: dúvidas mais frequentes [Acesso em 3 jul. 2020]. Disponível em: https://www.spsp.org. br/2012/12/12/uso-de-pasta-fio-dental-verniz-de-fluor-e-selante-duvidas-mais-frequentes/.

(38) Degrazia FW, Genari B. Guia para gestantes e mães de primeira viagem: tudo para sua saúde bucal e a de seu filho. Simplíssimo; 2021. [Acesso em 14 jul. 2021]. Disponível em: https://books.google.com.br/books? hl=pt-BR&lr=&id=D3gUEAAAQBAJ&oi =fnd&pg=PT6&dq=guia+para+gestantes+e+m%C3%A3es+de+primeira+viagem+bruna+genari&ots=x4ycqSfSJI&sig=_U_wRXGFs7_fhofCZx7gp2Y3gvM#v=onepage&q=guia%20para%20gestantes%20e%20m%C3%A3es%20de%20primeira%20viagem%20bruna%20genari&f=false.

(39) Global Child Dental Fund [internet]. Guia de Saúde Oral Materno-Infantil [Acesso em 12 de jul. 2021]. Disponível em: https://www.sbp.com.br/fileadmin/user_upload/Guia-de-Saude_Oral-Materno-Infantil.pdf.

Publicado

09-11-2021

Como Citar

Oliveira Tomaz Ferraresso, L. F., Santana Cassemiro, S., Silva, L. A. M. P. da, Sassahara Higasi, M., Hiromi Iwakura Kasai, M. L., Leao Lino Junior, H., & Silva Ursi, W. J. (2021). Ações extensionistas de promoção da saúde bucal em comunidades atendidas pela Pastoral da Criança em Londrina/PR . Revista Da ABENO, 21(1), 1578. https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1578

Edição

Seção

Artigos