Conhecimento e adoção de estratégias ecológicas na graduação em Odontologia

Ana Carla de Paula Souza, Isabela Faria de Souza Costa, Pedro Henrique Goulart Enoque, Cristina Dutra Vieira, Camilla Aparecida Silva de Oliveira

Resumo


O objetivo do estudo foi avaliar o conhecimento e a adoção de estratégias da Odontologia sustentável pelos estudantes de uma instituição de ensino superior privada de Belo Horizonte. A amostra foi composta por acadêmicos matriculados no 4º ao 9º período no ano de 2018 (n=287). Os dados foram coletados por meio de questionário autoaplicável em língua portuguesa, tabulados e analisados por meio de análise descritiva. Observou-se que cerca de um terço dos participantes (93, 32,39%) adotam as estratégias ecológicas que podem ser implementadas nas práticas odontológicas diárias. Aproximadamente a metade dos estudantes (152, 53,0%) relataram que pensam às vezes nas questões ambientais e de sustentabilidade e 252 (87,8%) responderam que nunca ouviram falar sobre Odontologia Verde. No entanto, 268 (93,4%) demonstraram interesse em conhecê-la e 230 estudantes (80,1%) consideraram importante a implementação de programas de educação ambiental no currículo dos cursos de Odontologia. Grande parte dos estudantes desconhece a Odontologia Verde e não adota condutas que refletem preocupação com as questões ambientais. Apenas uma parcela dos entrevistados utiliza estratégias ecológicas na sua rotina clínica, mas não necessariamente em seus hábitos cotidianos. A inserção da educação ambiental nas universidades faz-se urgente e foi apoiada pelos estudantes do presente estudo.


Palavras-chave


Resíduos de Serviços de Saúde. Meio Ambiente. Estudantes de Odontologia. Educação Ambiental.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Avinash B, Avinash BS, Shivalinga BM, Jyothikiran S, Padmini MN. Going green with Eco-Friendly dentistry. J Contemp Dent Pract. 2013;14(4):766-9

Passi S, Bhalla S. Go green dentistry. J Educ Ethics Dent. 2012;2(1):10-2.

Al-Qarni MA, Nasim VS, Mohammed AA, Yahya AA. Awareness of Eco-Friendly dentistry among dental faculty and students of King Khalid University. J Clin Diagn Res. 2016;10(10):75-8.

Mulimani P. Green dentistry: the art and science of sustainable practice. Br Dent J. 2017;222(22):954-61.

Shatrat SMA, Shuman D, Darby ML, Hueiwang AJ. Jordanian dentists’ knowledge and implementation of eco-friendly dental office strategies. Int Dent J. 2013;63(3):161-8.

Damle, S.G. Eco‑friendly green dentistry: The future of dentistry? Contemp Clin Dent. 2016; 7:423-5.

Vieira CD, de Carvalho MAR, de Menezes Cussiol NA, Alvarez-Leite ME, dos Santos SG, da Fonseca Gomes RM, et al. Composition analysis of dental solid waste in Brazil. Waste Manag. 2009;29(4):1388-91.

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Brasil). Resolução nº. 222, de 28 de março de 2018. Regulamenta as Boas Práticas de Gerenciamento dos Resíduos de Serviços de Saúde e dá outras providências. Diário Oficial da União 29 Mar2018; Seção 1.

Carvalho, FC. Análise da coleta seletiva em um campus universitário: a percepção ambiental dos discentes na Universidade Federal de Lavras [dissertação]. Lavras-MG: Universidade Federal de Lavras; 2015.

Brasil. Secretaria Nacional de Saneamento ambiental, Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento. Diagnóstico do manejo de resíduos sólidos urbanos 2012. Brasília; 2014.

Bringhenti JR, Günther WMR. Participação social em programas de coleta seletiva de resíduos sólidos urbanos. Eng Sanit Ambient. 2011;16(4):421-30.

Silva GCS, Medeiros DD. Metodologia de Checkland aplicada à implementação da produção mais limpa em serviços. Rev Gest Prod. 2006;13(3):411-22.

Fernandes ALT, Nogueira MAS, Rabelo PV. Escassez e qualidade da água no século 21. Informe Agropecuário. 2008; 29(246):86-101.

Hiltz M. The environmental impact of dentistry. J Can Dent Assoc. 2007;73(1):59-62.

Duarte HEM, Araújo CCM, Sannomiya EK. Sistemas digitais na Radiologia Dento-Maxilo-Facial: uma nova fase na Odontologia? Rev Bras Odontol. 2008;65(1):42-7.

Molina AB, Bueno CS, Aida CA, Castanheira GM, Hada RA, Ishikiriyama YT, et al. A Radiologia Odontológica e o Meio Ambiente. Rev Odontol Univ Cid São Paulo. 2014;26(1):61-70.

Bussadori SK, Guedes CC, Motta LJ, De Godoy CHL, Guedes-Pinto AC. Lixo odontológico: o que você está fazendo pelo planeta? APCD Jornal. 2009; 44(631):39.

Freitas Anceles JFS, Silva VC, Freitas-Fernandes FS, Carvalho ALA. Importância da odontologia sustentável na interface saúde/ambiente. Rev Pesq Saúde. 2012; 13(2):60-6.

Fialho LM Bruna, de Souza Ml, Poluha RL, Melo Neto CLM, Fernandes FFS, de Carvalho ALA. Influência ambiental do chumbo usado em radiografias odontológicas. Arch Health Invest. 2016; 5(3):172-5.

Nunes FL, Dias VS, Sellitto MA. Reutilização de embalagens de papelão: estudo de caso em distribuição de suprimentos. Gest Prod. 2015;22(4):820-34.

Pinter MG, Jardim DP. Segregação e diminuição de resíduos sólidos no bloco cirúrgico: uma experiência bem-sucedida. Rev SOBECC. 2014;19(4):226-32.

Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Serviços Odontológicos: Prevenção e Controle de Riscos. Brasília: Ministério da Saúde, 2006

Thompson RC, Olsen Y, Mitchell RP, Davis A, Rowland SJ, John AWG, et al. Lost at sea: where is all the plastic?. Science. 2004;304(5672):838.

Barnes, DKA, Galgani F, Thompson RC, Barlaz M. Accumulation and fragmentation of plastic debris in global environments. Trans Roy Soc B. 2009;364:1985-8.

Takayanagui AMM. Consciência ecológica e os resíduos de Serviços de saúde. Rev Latino Am Enfermagem. 1993;1(2):93-6.

Terracycle [internet]. Programa Nacional de Reciclagem [Acesso em 30 maio 2018]. Disponível em: https://www.terracycle.com. br/pt-

BR/brigades/brigada-de-saude-bucal.

SEBRAE. Sustentabilidade no setor odontológico. 2014 Nov; [Acesso em 31 maio 2018]. Disponível em: http://www. bibliotecas.sebrae.com.br.

Adlmaier S, Sellitto MA. Embalagens retornáveis para transporte de bens manufaturados: um estudo de caso em logística reversa. Produção. 2007;17(2):395-406.

Ministério do meio ambiente [internet]. Logística Reversa [Acesso em 3 de maio de 2018]. Disponível em: http://www.mma. gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solido s/log%C3%ADstica-reversa.

Souza FP, Jacintho MG, Silva ITP, Viana KPG. Viabilidade da aplicação da logística reversa no gerenciamento dos resíduos dos serviços de saúde: um estudo de caso no hospital x. Persp Online: Exatas & Eng. 2013;3(6):56-72.

Mc Manus KR, Fan PL. Purchasing, installing and operating dental amalgam separators. J Am Dent Assoc. 2003;134(8):1054-65.

Jones DW. Putting dental mercury pollution into perspective. Br Dent J. 2004; 197(4):175-7.

Ministério do Meio Ambiente. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Gerenciamento dos Resíduos de Mercúrio nos Serviços de Saúde. Brasília: MMA; 2010.

Mercola JM, Klinghardt D. Mercury toxicity and systemic elimination agents. J Nutr Environ Med. 2001;11(1):53-62.

Thomaz CE, Camargo DMPD. Educação ambiental no ensino superior: múltiplos olhares. Rev Eletr Mestr Educ Ambient. 2007; 18:303-18.

Silva A, Haetinger C. Educação Ambiental no ensino superior: O conhecimento a favor da qualidade de vida e da conscientização socioambiental. Contexto Saúde. 2012;12(23):34-40.

Kollmuss A, Agyeman J. Mind the gap: why do people act environmentally and what are the barriers to pro-environmental behavior? Environ Educ Res. 2002;8(3):239-60.

Ferro AFP, Bonacelli MBM, Assad ALD. Oportunidades tecnológicas e estratégias concorrentes de gestão ambiental: o uso sustentável da biodiversidade brasileira. Rev Gest Prod. 2006;13(3):489-501.

Hamula W. Orthodontic Office Design: attracting patients to your practice. J Clin Orthod. 2010;44(1):47-53.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i2.727

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274