Perfil dos usuários e dos atendimentos na especialidade de Endodontia do CEO-UFRGS entre 2016 e 2017

Valéria Rozales Ehlert, Simone Bonato Luisi

Resumo


Os Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) são uma estratégia da Política Nacional de Saúde Bucal para garantir a atenção secundária em Odontologia, constituindo-se em unidades de referência para a atenção primária. Este estudo transversal analisou as características dos usuários e dos atendimentos na Especialidade de Endodontia do CEO da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi formulado um questionário baseado no Manual de Especialidades em Saúde Bucal, acrescido de perguntas que caracterizavam o perfil do usuário e aplicado aos estagiários atuantes no CEO a cada tratamento endodôntico concluído. A amostra totalizou 48 pacientes, obtida por conveniência, em amostragem consecutiva do tipo censo onde foram concluídos 56 tratamentos endodônticos, durante o período de agosto de 2016 a julho de 2017. O perfil dos usuários encaminhados foi, predominantemente, do sexo feminino (62,50%), na faixa etária de 31 a 50 anos (41,67%) e da raça branca (64,58%); os dentes que mais necessitaram tratamento foram os molares (67,86%); e na maioria dos casos encontravam-se em condições compatíveis com as preconizadas pelo Manual de Especialidades em Saúde Bucal; os tratamentos foram concluídos em 2 ou 3 consultas (66,67%); o tempo de espera dos usuários para atendimento foi inferior a 6 meses (83,33%). Os pacientes foram encaminhados por meio da ficha de referência (93,75%). O estudo evidenciou dados que podem contribuir para o desenvolvimento de estratégias que ampliem a produtividade por meio de investimentos em novas tecnologias e equipamentos que possam reduzir o número de consultas necessárias para a finalização dos tratamentos endodônticos, proporcionando atendimento para um número maior pacientes e reduzindo o tempo de espera.


Palavras-chave


Atenção Secundária à Saúde. Especialidades Odontológicas. Endodontia.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 599, de 23 de março de 2006. Define a implantação de especialidades odontológicas (CEO) e de laboratórios regionais de próteses dentárias (LRPDs) e estabelece critérios, normas e requisitos para seu credenciamento. Diário Oficial da União. 2006 mar. 24; Seção 1. p. 51.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Manual de especialidades em saúde bucal. Brasília, DF, 2008. 128 p. (Série A. Normas e manuais

técnicos).

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Interministerial nº 1.646, de 5 de agosto de 2014. Institui o componente GraduaCEO, no âmbito da Política Nacional de Saúde Bucal, que irá compor a Rede de Atenção à Saúde (RAS), e dá outras providências. Diário Oficial da União. 2014 ago. 6; Seção 1. p. 46.

Bulgareli JV, Faria ET, Ambrosano GMB, Vazquez FL, Cortellazzi KL, Meneghim MC, et al . Informações da atenção secundária em Odontologia para avaliação dos modelos de atenção à saúde. Rev Odontol UNESP. 2013; 42(4): 229-36.

Carrer FCA, Cayetano MH, Figueiredo N, Padilha WWN. O avaliador externo e o usuário do CEO: narrativa de experiência durante o Ciclo I do PMAQ-CEO. In: Figueiredo N, Goes PSA, Martelli PJL. Os caminhos da saúde bucal no Brasil: um olhar quali e quanti sobre os Centro de Especialidade Odontológicas (CEO) no

Brasil. Recife: UFPE; 2016. p. 236-52.

Carvalho JC, Ekstrand KR, Thylstrup A. Dental plaque and caries on occlusal surfaces of first permanent molars in relation to stage of eruption. J Dent Res. 1989;68 (5):773-9.

Cayetano MH, Gabriel M, Almeida FCS, Araújo ME. Retrato da Endodontia no serviço público no brasil por meio do PMAQ-CEO. Anais. São Paulo: Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas, Resumo, 2017.

Chaves SCL, Soares FF, Rossi TRA, Cangussu, MCT, Figueiredo ACL, Cruz DN, et al. Características do acesso e utilização de serviços odontológicos em municípios de médio porte. Ciênc Saúde Coletiva. 2012; 17(11): 3115-24.

Costa JLBM. Avaliação dos serviços públicos de endodontia nos centros de especialidades odontológicas de Minas Gerais [Tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2016.

Dorr GD, Grecca FS, Giordani JMA. Avaliação dos atendimentos endodônticos em um Centro de Especialidades Odontológicas em Porto Alegre, RS. Rev ABENO. 2016; 16(3):85-9.

Hizatugu R, KadoE, Miyasaki E, Okino K, Meneghine GP, Matayoshi A. Endodontia em sessão única: mito ou realidade. 1ª ed. São Paulo: Atheneu; 2002.

Laroque MB, Fassa ACG, Castilhos ED. Avaliação da atenção secundária em saúde bucal do Centro de Especialidades Odontológicas de Pelotas, Rio Grande do Sul, 2012-2013. Epidemiol Serv Saúde. 2015; 24(3): 421-30.

Lima MN, Pinheiro MLS, Cunha LM, Albuquerque MRG, Lopes KS, Carneiro SV. Prevalência da perda dos primeiros molares permanentes em crianças de 8 a 12 anos atendidas na Unicatólica. JOAC. 2017;3(1):1-6.

Limão, NP, Protasio, APL, Machado, LS, Gomes, LB, Valença, AMG. Oferta da assistência odontológica especializada na Atenção Básica do Brasil, Nordeste e Paraíba. REFACS [Internet]. 2017 [Acesso em 10 ago. 2018]; 5(Supl.1):131-140. Disponível em: http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/refacs/article/view/1987

Machado LX, Toassi RFC, Warmling CM. Gestão da Atenção Primária à Saúde: Práticas de acolhimento em saúde bucal na atenção primária à saúde. In: Bulgarelli A F, Nunes ÂMA, Warmiling CM, Hugo FN, Frichembruder K, Lemos VMA. Redes de Atenção à Saúde: Práticas, experiências e propostas na gestão da Saúde Coletiva. Porto Alegre: Rede Unida; 2016. p. 245-288.

Malka VB. Perfil de atendimento do Centro de Especialidades Odontológicas de Endodontia da FO-UFRGS [monografia]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015.

Nunes CSR, Silva MP, Barcessat ARP. Acesso aos serviços de saúde bucal de adultos e idosos. Est Científica UNIFAP. 2017; 7(3): 9-18.

Peron TB. Perfil do atendimento no centro de especialidades odontológicas de endodontia da FO-UFRGS no primeiro semestre de 2016 [monografia]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2016.

Persici S. Regulação como ferramenta de gestão: análise da compatibilidade entre oferta e demanda por consultas odontológicas especializadas no município de Porto Alegre-RS [monografia]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015.

Ribeiro ILA, Veloso HHP, Valença AMG, Brasil Júnior O, Lima Neto EA. Avaliação da qualidade de vida e nível de satisfação do usuário da rede de atenção especializada com o tratamento endodôntico no município de João Pessoa, Paraíba, Brasil, 2009. ROBRAC. 2012; 21(59):557-63.

Rodrigues L A, Vieira JDM, Leite ICG. Avaliação do fluxo de referência para um centro de especialidades odontológicas implantado em cidade de médio porte na região Sudeste. Cad Saúde Colet. 2013; 21(1): 40-45.

Rösing CK, Daudt F. A perspectiva da Atenção Especializada em Periodontia. Porto Alegre, 2016. Apresentação em PowerPoint. [Acesso em 10 ago. 2018]. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/docs/portaldab /documentos/mesa_iv_periodontia_ceo.pdf

Saliba NA, Nayme JGR, Moimaz SAS, Cecilio LPP, Garbin CAS. Organização da demanda de um Centro de Especialidades Odontológicas. Rev Odontol UNESP. 2013; 42(5): 317-23.

Silva HEC, Gottems LBD. Interface entre a Atenção Primária e a Secundária em odontologia no Sistema Único de Saúde: uma revisão sistemática integrativa. Ciênc Saúde Coletiva. 2017; 22(8): 2645-57.

Souza GC, Lopes MLDS, Roncalli AG, Medeiros-Junior A, Clara-Costa IC. Referência e contra referência em saúde bucal: regulação do acesso aos centros de especialidades odontológicas. Rev Salud Pública. 2015; 17(3): 416-28.

Symanski NC. Terapia Endodôntica: sessão única x sessão múltipla: revisão de literatura [monografia]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2015.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i2.760

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274