Percepção e atitudes dos cirurgiões-dentistas de Unidades Básicas de Saúde sobre o atendimento de Pacientes com Necessidades Especiais

Marina Sousa Azevedo, Vitória Castanheira, Laiza Flores, Lisandrea Schardosim

Resumo


O atendimento a pacientes com necessidades especiais (PNE) na Odontologia exige uma abordagem diferenciada. São relatadas dificuldades desta população em conseguir atendimento, principalmente no serviço público. O objetivo deste estudo foi investigar a percepção e as atitudes dos cirurgiões-dentistas (CD) da rede municipal de saúde de Pelotas/RS no atendimento a PNE Participaram 47 profissionais de Unidades Básicas de Saúde que responderam a um questionário sobre rotina profissional, tempo de formado, qualificação profissional, experiência, atitudes e dificuldades no atendimento de PNE. Foi realizada análise descritiva e o Teste Exato de Fisher para avaliar associação entre as características do CD, sua percepção, experiências e atitudes frente ao atendimento.  A maioria (93,6%) dos CDs relatou atender PNE e a dificuldade mais relatada foi a falta de auxiliar (58,5%). Houve uma melhor percepção em relação ao atendimento ao PNE ente aqueles CD que fazem parte da equipe da Estratégia Saúde da Família, com menos tempo de formado e que se dedicam integralmente ao setor público. Conclui-se que, apesar da maioria dos CD relatarem prestar atendimento odontológico ao PNE, diversas dificuldades foram apontadas, sendo a principal a falta de auxiliar.


Palavras-chave


Pessoas com Deficiência. Centros de Saúde. Odontologia. Atenção Primária à Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Campos C, Frazão B, Saddi G, Morais L, Ferreira M, Setúbal PC, Alcantara R. Manual prático para o atendimento odontológico de pacientes com necessidades especiais. Goiânia: Universidade Federal de Goiânia, 2009.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Demográfico 2010. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência.

Silva C, Pagnoncelli S, Weber JB, Fritscher AM. Avaliação do perfil dos Pacientes com Necessidades Especiais da clínica de Odontopediatria da Faculdade de Odontologia da PUCRS. Rev Odonto Ciência. 2005; 50(20): 313-8

Brasil. Presidência da República. Secretaria Nacional de Promoção dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. Avanços das Políticas Públicas para as Pessoas com Deficiência. Distribuição gratuita - Uma análise a partir das Conferências Nacionais. 1ª edição, Brasília; 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica (Caderno de Atenção Básica 17). Brasília: Ministério da Saúde; 2006.

Lawrence H, Sousa L, Gonçalves F, Saintrain M, Vieira A. Acesso à saúde bucal pelo Paciente Especial: a ótica do cirurgião-dentista. Rev Bras Promoç Saúde. 2014, 27(2): 190-197.

Thumé E.; Tomasi E. Barreiras arquitetônicas a idosos e portadores de deficiência física: um estudo epidemiológico da estrutura física das unidades básicas de saúde em sete estados do Brasil. Ciên Saúde Colet. 2009, 14(1):39-44.

Masta S. Programa de assistência odontológica ao paciente especial: uma experiência de 13 anos. RGO. 2011; 59(3):379-85.

Parker S, Hew J. Attitudes towards treating individuals with disabilities: a survey of Dental Hygiene Students and Dental Hygiene Faculty. J Oral Hyg Health. 2013; 1(2):2-5.

Cardoso A, Brito D, Alves V, Padilha W. O Acesso ao cuidado em saúde bucal para crianças com deficiência motora: perspectivas dos cuidadores. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2011;11(4):593-9.

Williams JJ, Spangler CC, Yusaf NK. Barriers to dental care access for patients with special needs in an affluent metropolitan community. Spec Care Dent. 2015;35(4):190-6.

Rocha L, Saintrain M, Vieira M. Access to dental public services by disabled persons. BMC Oral Health 2015;15:(35):3-9.

Brasil. Portaria 1444, de 28 de dezembro de 2000. Estabelece incentivo financeiro para a reorganização da atenção prestada nos municípios por meio do Programa de Saúde da Família. Brasília: Ministério da Saúde, 2000.

Brasil. Centro de Especialidades Odontológicas. Ministério da Saúde. Departamento de atenção básica.

Alcântara L, Costa JR, Pola N, Schardosim L, Azevedo M. Projeto de extensão “Acolhendo sorrisos especiais”. Expressa Extensão. 2016;21(1):64-71.

Fonseca A, Azzalis L, Fonseca F, Botazzo C. Análise qualitativa das percepções de cirurgiões-dentistas envolvidos nos atendimentos de pacientes com necessidades especiais de serviços públicos municipais. Rev Bras Crescimento Des Hum. 2010; 20(2): 208-21.

Andrade A, Eleutéio A. Pacientes portadores de necessidades especiais: abordagem odontológica e anestesia geral. Rev Bras Odontol. 2015;72(1-2):66-9.

Bonato L, Lopes A, Silva C, Itner R, Silva A. Situação atual da formação para assistência de pessoas com necessidades especiais nas faculdades de odontologia no Brasil. ClipeOdonto 2013; 5(1):10-5.

Spezzia S, Bertolini S. Ensino odontológico para pacientes especiais e gestão em saúde. J Oral Invest. 2017;6(1):1-8.

Adyanthaya A1, Sreelakshmi N1, Ismail S1, Raheema M1. Barriers to dental care for children with special needs: general dentists' perception in Kerala, India. J Indian Soc Pedod Prev Dent. 2017; 35(3):216-22.

Spezzia S, Pinto S, Vieira A, Takaoka L, Teixeira R, Ana Lúcia Goulart AL, Kopelman B. Pacientes com necessidades especiais – da regulamentação pública ao ensino odontológico. J Health Sci Inst. 2015;33(2):140-3.

Schardosim L, Costa JR, Azevedo M. Abordagem odontológica de pacientes com necessidades especiais em um centro de referência no sul do Brasil. Rev AcBO. 2015; 5(1).




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i3.899

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274