A formação do cirurgião-dentista nos cursos de odontologia do Ceará(a)

Filomena Maria da Costa Pinheiro, Silvia Maria Nóbrega-Therrien

Resumo


O presente estudo configura-se em uma pesquisa documental no ano de 2006, realizada nos cursos de Odontologia da Universidade Federal do Ceará – UFC e Universidade de Fortaleza – UNIFOR do Estado do Ceará. Procurou-se conhecer os projetos político-pedagógicos – PPP adotados para a formação do cirurgião-dentista nos cursos de graduação; relacionar a estrutura curricular anteriormente adotada nos cursos de graduação com as novas Diretrizes Curriculares propostas pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional – LDB/96 e identificar as mudanças ocorridas. Os documentos mapeados foram organizados e interpretados utilizando os seguintes tópicos: missão do curso, princípios norteadores, perfil profissiográfico, diretrizes curriculares e estrutura curricular. Constatou-se que os cursos de Odontologia estudados estão realizando suas reformas curriculares procurando se adequar às Novas diretrizes propostas, procurando adequar a formação dos seus profissionais para que atendam às necessidades de saúde da população.Os cursos aqui mapeados e analisados estão passando por um momento histórico de mudança na formação do cirurgião-dentista, enfrentando o desafio de sair de um modelo de ensino centrado no diagnóstico e tratamento das doenças para outro centrado na promoção e prevenção dessas doenças.

Palavras-chave


Educação em Odontologia. Escolas de Odontologia. Currículo.

Texto completo:

PDF

Referências


Candau VM. Reformas educacionais hoje na América Latina. In: Moreira AFB (org). Currículo: políticas e práticas. Campinas, SP: Papírus; 1999. p. 29-42.

Veiga IPA. Perspectivas para reflexão em torno do projeto político-pedagógico. In: Veiga IPA, Resende LMG(orgs.). Escola: espaço do projeto político-pedagógico. 6ª. ed. CampinasSP: Papírus; 2002. p. 9 32.

Aquilante AG, Tomita NE. O estudante de odontologia e a educação. Revista da ABENO 2005; 5: (1): 6-11.

Paula LM, Bezerra ACB. A estrutura curricular dos cursos de odontologia no Brasil. Revista da ABENO 2003; 3: (1):7-14.

Veiga IPA. Projeto político-pedagógico da escola: uma construção possível. 11.ª ed. Campinas: Papírus; 2000.

Feuerwerker LCM. Além do discurso de mudança na educação médica: processos e resultados. São Paulo: Hucitec; Londrina:Rede unida; Rio de Janeiro: Assoc. Bras. de Educação Médica,2002.

Lemos CLS. A implantação das diretrizes curriculares dos cursos de graduação em odontologia no Brasil: algumas reflexões. Revista da ABENO 2005; 5:(1):80-5.

Brasil. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Parecer CNE/CES 1300/2001, de 4 de dezembro de 2001, que dispõe das Diretrizes dos Cursos DE Graduação em Farmácia e Odontologia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7dez. 2001. Seção 1, p. 1-25.

Macedo RS. Currículo: campo, conceito e pesquisa. PetrópolisRJ: Vozes; 2007.

Therrien J, Santos E, Sousa FCL. Racionalidade do Agir docente: elementos para uma análise da formação na prática. In: Therrien J, Damasceno MN (org). Artesãos de um outro ofício: múltiplos saberes e práticas no cotidiano escolar. São Paulo: Annablume, 2000.

Melo MM. As diretrizes curriculares nacionais e os cursos = paranaenses de odontologia: processo de construção e perspectivas de implementação. [Dissertação de Mestrado]. Londrina: Universidade Estadual de Londrina; 2004.

Lampert JB. Tendências de mudanças na formação médica no Brasil. São Paulo: Hucitec-Abem; 2002.

Demo P. Saber pensar. Revista da ABENO 2005; 5(1): 75-9




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v9i1.1345

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274