Egressos de Odontologia: o sonho da profissão liberal confrontado com a realidade da saúde bucal

Isabel Alves Gomes Pinheiro, Luiz Roberto Augusto Noro

Resumo


Modificações no campo do trabalho em Odontologia demostram uma transformação no mercado, na prática e na formação do cirurgião-dentista. Procura-se um novo profissional para atender as necessidades de saúde da sociedade, com foco na atenção em saúde bucal coerente com a realidade epidemiológica. O objetivo deste estudo foi avaliar a inserção dos egressos de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte no mercado de trabalho e sua relação com o currículo e atividades de educação permanente. A pesquisa foi desenvolvida por meio de questionário autoadministrado, composto por variáveis relativas ao tempo de ingresso no mercado de trabalho, participação em pós-graduação, ações desenvolvidas ao longo da graduação, inserção profissional e satisfação profissional. Os resultados demostraram que o serviço privado é, ainda, um grande empregador, fato que caracteriza o perfil do profissional e corrobora a grande predominância de disciplinas clínicas no currículo. A participação do aluno em atividades com-plementares configura-se estratégia essencial para a perspectiva da futura inserção profissional, assim como flexibilização curricular. Apesar da transição sinalizada pelas perspectivas de universalização do acesso público à saúde bucal, são necessários esforços ímpares na educação permanente para que a Odontologia alcance seu espaço valorizado perante a sociedade e cumpra efetivamente seu papel de profissão de saúde.

Palavras-chave


Papel Profissional. Desenvolvimento de Pessoal. Odontologia. Mercado de Trabalho. Recursos Humanos em Odontologia.

Texto completo:

PDF

Referências


Moysés SJ. Política de saúde e formação de recursos Humanos em Odontologia. Rev ABENO. 2004; 4(1):7-30.

Brasil. VII Conferência Nacional de Saúde. Brasília, 1980.

Noro LRA, Ringeisen ATS. Saúde bucal e direito do consumidor. Pró-odonto. Prevenção. 2013;1(7):127-168.

Botazzo C. Sobre a bucalidade: notas para a pesquisa e contribuição ao debate. Ciênc Saúde Coletiva. 2006;11(1):7-17.

Manfredini MA, Moysés SJ, Noro LRA, Narvai PC. Assistência Odontológica Pública e suplementar no município de São Paulo na primeira década do século XXI. Saúde Soc São Paulo. 2012;21 (2):323-335.

Morita MC, Kriger L, Carvalho ACP, Haddad AE. Implantações das Diretrizes Curriculares Nacionais em Odontologia. Marigá: Dental Press International, 2007.

Barreira RB. Elaboração e validação de questionário para coleta de dados sobre serviços especializados de pacientes com imunodeficiências primárias. Dissertação (Mestrado). Pós-graduação em saúde da criança e da mulher. Instituto Fernandes Figueira - Fundação Osvaldo Cruz. Rio de Janeiro, 2007.

Morita MC, Haddad AE, Araújo ME. Perfil Atual e Tendências do Cirurgião Dentista Brasileiro. Maringá: Dental Press International, 2010.

Costa SM, Durães SJA, Abreu MHNG. Feminização do curso de Odontologia da Universidade Estadual de Montes Claros. Ciênc Saúde Coletiva. 2010,15(1):1865-1873.

Noro LRA, Torquato SM. Percepção sobre o aprendizado de saúde coletiva e o SUS entre alunos concludentes de curso de odontologia. Trab Educ Saúde. 2011;8(3):439-447.

Pinheiro VCM, Menezes LMB, Aguiar ASW, Moura WVB, Almeida MEL, Pinheiro FMC. Inserção dos egressos do Curso de Odontologia no mercado de trabalho. RGO. 2011;59(2):277-283.

Paranhos lr. O mercado profissional na área de Odontologia - uma pequena reflexão. Odonto. 2011;19(38):5-6.

Freitas CHSM. Dilemas no exercício profissional da odontologia: autonomia em questão. Interface Comunic Saúde Educ. 2007;11(21):25-38.

Moura LFAD, Piauilino RJB, Araújo IF, Moura MS, Lima CCB, Evangelista LM, Lima MDM. Impacto de um projeto de extensão universitária na formação profissional de egressos de uma universidade pública. Rev Odontol UNESP. 2012;41(6):348-352.

Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Resolução Nº 171/2013-CONSEPE, de 5 de novembro de 2013. Aprova o Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, 2013.

Saliba NA, Moimaz SAS, Prado RL, Garbin CAS. Percepção do cirurgião-dentista sobre a formação profissional e dificuldades de inserção no mercado de trabalho. Rev Odontol UNESP. 2012; 41(5):297-305.

Martelli PJL, Macedo CLSV, Medeiros KR, Silva SF, Cabral APS, Pimentel FC, Monteiro IS. Perfil do cirurgião-dentista inserido na Estratégia de Saúde da Família em municípios do estado de Pernambuco, Brasil. Ciênc Saúde Coletiva. 2010;15(suppl.2):3243-3248.

Nunes MF, Leles CR, Gonçalves MM. Gênero e escolha por especialidades odontológicas: estudo com egressos de uma universidade pública. Rev Odontol Bras Central. 2010;19(49):142-145.

Brasil. Projeto de Lei n.3734, de 15 de dezembro de 2008. Altera o salário mínimo dos médicos e cirurgiões-dentistas. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo.

Morita MC, Kriger L. Mudanças nos cursos de Odontologia e a interação com o SUS. Rev ABENO. 2004;4(1):17-21.

Freitas SFT, Calvo MCM, Lacerda JT. Saúde Coletiva e novas Diretrizes Curriculares em Odontologia: uma proposta para a graduação. Trab Educ Saúde. 2012;10(2):223-234.

Matos IB. Expectativas do exercício profissional de graduandos em odontologia. Tese (Doutorado em Ciências – Saúde Pública), Escola Nacional de Saúde Pública Arouca, FIOCRUZ, 2005.

Freitas CHSM. Dilemas do Exercício Profissional no Trabalho Liberal da Odontologia: a autonomia em questão. Tese (Doutorado). Programa de Saúde Coletiva. Instituto de Medicina Social. Universidade Estadual do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2004.

Narvai PC. Saúde bucal coletiva: caminhos da odontologia sanitária à bucalidade. Rev. Saúde Pública 2006:40(n. esp.):141-147.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v16i1.217

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274