A atuação do residente em Odontologia Hospitalar neonatal na abordagem multidisciplinar do SUS: relato de experiência

Nayara Silva de Gouvêa, Jessyca Twany Demogalski, Marcos Cezar Pomini, Caique Mariano Pedroso, Maria Cecília Carneiro Weinert, Fabiana Bucholdz Teixeira Alves

Resumo


A reorganização dos serviços de saúde vinculada ao programa Humaniza SUS possibilita o cuidado multiprofissional do indivíduo. Neste sentido, a inclusão do cirurgião-dentista nas equipes visa somar esforços para o alcance da integralidade da atenção, a qual abrange as diversas alterações que podem acometer o sistema estomatognático de sujeitos em cuidados hospitalares. A residência em odontologia hospitalar neonatal, como parte integradora da abordagem multiprofissional, é extremamente importante para garantir a abordagem adequada de gestantes, puérperas e recém-nascidos (RN) em sua plenitude. As frentes de atuação do residente em odontologia neonatal envolvem, principalmente, o pré-natal odontológico, o puerpério imediato e mediato, a abordagem ambulatorial e as unidades de terapia intensiva neonatal e pediátrica. Este artigo objetiva relatar a experiência de atuação de residentes em odontologia hospitalar neonatal em um hospital escola pertencente ao Sistema Único de Saúde (SUS) do Paraná.


Palavras-chave


Saúde Bucal. Neonatologia. Internato e Residência. Sistema Único de Saúde.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Porto AN, Segundo AS, Borges AH, Semenoff TADV, Miranda FP. Hospital Dentistry: a proposal of a new discipline. RSBO. 2012;9(1):119-22.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Política Nacional de Humanização - Formação e intervenção. 1 ed. Brasília (DF): MS; 2010.

Euzébio LF, Viana KA, Cortines AAO, Costa LR. Atuação do residente cirurgião-dentista em equipe multiprofissional de atenção hospitalar à saúde materno-infantil. Rev Odontol Brasil Central 2013;22(60):16-20.

Costa LRRS, Zardetto C, Araujo AMPG, Pavez CE, Torres GR, Verdugo IA, et al. Presença do odontopediatra em ambiente hospitalar. Rev Odontopediatr Latinoam. 2014;4(2).

Lima ENA, Souza ECF. Percepção sobre ética e humanização na formação odontológica. RGO. 2010;58(2):231-8.

Carvalho GD, Chiaradia DL, Chiaradia R. Saúde oral e enfoque odontológico. In. Carvalho MR, Gomes CF. Amamentação: bases científicas. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 2017.

Moimaz SAS, Rocha NB, Saliba O, Garbin CAS. O acesso de gestantes ao tratamento odontológico. Rev Odontol UNICID. 2007;19(1):39-45.

Carvalho M, Gomes MASM. A mortalidade do prematuro extremo em nosso meio: realidade e desafios. J Pediatr (Rio J). 2005;81(1Supl):S111.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Ações Programáticas estratégicas. Atenção humanizada ao recém-nascido de baixo peso – Método Canguru: manual técnico. 2 ed., Brasília (DF): MS; 2013.

Polyzos NP, Polyzos IP, Zavos A, Valachis A, Mauri D, Papanikolaou EG, et al. Obstetric outcomes after treatment of periodontal disease during pregnancy: systematic review and meta-analysis. BMJ. 2010;341:c7017.

Santos PSS, Soares Junior LAV. Medicina Bucal – A prática na odontologia hospitalar. 1.ed. São Paulo: Santos; 2012, 315p.

Welgatch MKM, Samalea DMV. Atenção Odontológica às gestantes na Estratégia da Saúde da Família. Rev Divulg Téc-Científ do ICPG 2008;3(12):73-9.

Pomini MC, Gawlik AT, Pereira N, Santos AR, Santos BR, Demogalski JT, et al. Educação em saúde bucal a gestantes, puérperas e primeira infância: relato de atividade de extensão. Rev Bras Ext Universit. 2017;8(3):143-8.

Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Diretrizes da Política nacional de saúde Bucal. 2004. [Cited July 01, 2017]. Available at: http://bvsms.saude. gov.br/bvs/publicacoes/politica_nacional_brasil_sorridente.pdf.

Falcone VM, Mäder CVN, Nascimento CFL, Santos JMM, Nóbrega FJ. Atuação multiprofissional e a saúde mental de gestantes. Rev Saúde Pública. 2005;39(4):612-8.

Dias MAB, Domingues RMSM. Desafios na implantação de uma política de humanização da assistência hospitalar ao parto. Ciênc Saúde Coletiva. 2005;10(3):669-705.

Boccolini CS, Carvalho ML, Oliveira MIC, Vasconcellos AGG. Fatores associados à amamentação na primeira hora de vida. Rev Saúde Pública. 2010;45(1):69-78.

Ministério da Saúde. Lei nº 13.002. 2014 [internet]. Obriga a realização do protocolo de avaliação do frênulo da língua em bebês. 2014 [Cited July 01, 2017]. Available at: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13002.htm

Silva PI, Vilela JER, Rank RCLC, Rank MS. Frenectomia lingual em bebê – relato de caso. Rev Bahiana Odonto. 2016;7(3):220-7.

Opara IP, Gabriel-Job N, Opara K. Neonates presenting with severe complications of frenotomy: a case series. J Med Case Rep. 2012;6(77):1-4.

Ministério da Saúde. Nota Técnica Nº 09/2016. 2016. [Cited June 30, 2017]. Available at: http://www.redeblh.fiocruz. br/media/notatecn9_16.pdf.

Kuhn E, Wambier DS. Incidência de lesões de cárie em bebês após 15 meses de um programa educativo-preventivo. Pesq Bras Odontoped. 2007;7(1):75-81.

Pinheiro TS, Almeida TF. A saúde bucal em pacientes de UTI. Rev Bahiana Odonto. 2014;5(2):94-103.

Padovani MCRL, Souza SAB, Sant’Anna GR, Guaré RO. Protocolos de cuidados bucais na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal. Rev Bras Pesq Saúde. 2012;14(1):71- 80.

Dal-Bó K, Silva RM, Sakae TM. Infecção hospitalar em uma unidade de terapia intensiva neonatal do Sul do Brasil. Rev Bras Ter Intensiva. 2012;24(4):381-5.

Weber CD, Applying adult ventilator-associated pneumonia bundle evidence to the ventilated neonate CCNS-Neonatal, RNC. Adv Neonatal Care. 2016;16(3):178-90.

Perugini MRE, Perugini VH, Figueira FD, Fontana LMS, Diniz JJ, Santos DL et al. Impacto de um bundle nas taxas de pneumonia associada à ventilação mecânica (PAV) em uma unidade de terapia intensiva pediátrica em Londrina-PR. Semina: Ciênc Biol Saúde. 2015;36(1) supl. 259-66.

Silva GS, Nascimento ERP, Salles RK. Bundle de prevenção da pneumonia associada à ventilação mecânica: uma construção coletiva. Texto Contexto Enferm, 2012;21(4): 837-44.

Grande IMP, Prochnow R, Saab R, Pizzatto E. Desafios na formação do cirurgião-dentista para o SUS. Rev ABENO. 2016;16(3):2-6.

Martins RFM, Azevedo JAP, Dourado CRL, Ribeiro CCC, Alves CMC, Thomaz EBAF. Oral health behaviors and dental treatment during pregnancy: a cross-sectional study nested in a cohort in Northeast Brazil. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2014;14(1):5-11.

Mendes LC, Matos LP, Schindler MF, Tomaz M, Vasconcellos SC. Relato de experiência do primeiro ano da residência multiprofissional hospitalar em saúde, pela ótica da Psicologia. Rev SBPH. 2011;14(1):125-41.

Amaral COF, Marques JA, Bovolato MC, Parizi AGS, Oliveira A, Straioto FG. Importância do cirurgião-dentista em Unidade de Terapia Intensiva: avaliação multidisciplinar. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2013;67(2):107-11.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i4.597

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274