Críticas construtivas de formandos em Odontologia para o repensar do estágio supervisionado no SUS

Cristina Berger Fadel, Marcos Vinícius de Sousa Pereira, Kérolen Cristina Moura, Alessandra de Souza Martins, Márcia Helena Baldani Pinto

Resumo


O estudo visa obter percepções críticas de formandos em Odontologia sobre o estágio curricular no SUS. Realizou-se pesquisa exploratória, descritiva e qualitativa junto à população de acadêmicos concluintes do curso de Odontologia de uma universidade pública do sul do Brasil (n= 52) (ano base: 2016), considerando-se para fins de análise somente os acadêmicos que julgaram que o estágio no SUS não foi produtivo para a sua formação acadêmica (n=11). A apreensão das informações se deu por meio de questão norteadora única e os resultados foram tratados de acordo com a técnica de análise do discurso do sujeito coletivo. Das informações obtidas foram extraídos dois temas ‘Organização’ e ‘Estrutura’ do estágio, e sete ideias centrais, as quais deram origem aos discursos. Os acadêmicos expõem importância arraigada ao modelo de atuação profissional tecnicista, com baixo interesse no SUS enquanto campo de trabalho.


Palavras-chave


Odontologia. Sistema Único de Saúde. Avaliação Educacional. Pesquisa Qualitativa.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Fazenda I, Godoy H. Interdisciplinaridade: pensar, pesquisar e intervir. Rev Cien Facerb. 2015; 2(1):45-54.

Caggy RCSS, Fischer TMD. Interdisciplinaridade revisada: analisando a prática interdisciplinar em uma Faculdade de Administração na Bahia. Ens Pesq. 2014; 15(3):501-31.

Vendruscolo C, Prado ML, Kleba ME. Integração Ensino-Serviço no âmbito do Programa de Reorientação da Formação Profissional em Saúde. Ciênc Saúde Colet. 2016; 21(9):2949-60.

Almeida FNM. Contextos, impasses e desafios na formação de trabalhadores em Saúde Coletiva no Brasil. Ciênc Saúde. 2015;18(6):1677-82.

Brasil. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Senado, Brasília: DF. 1988. [Acesso em 10 de dez. de 2017] Disponível em: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/consti/1988/constituicao-1988-5-outubro-1988-322142-publicacaooriginal-1-pl.html

Toassi RFC, Souza JM, Baumgarten A, Rosing CK. Avaliação curricular na educação superior em odontologia: discutindo as mudanças curriculares na formação em saúde no Brasil. Rev ABENO. 2012; 12(2):170-7.

Morita MC, Kriger L, Carvalho ACP, Haddad AE. Implantação das Diretrizes Curriculares Nacionais em Odontologia. 2a ed. Maringá: Dental Press. ABENO, OPAS, MS; 2013:160.

Ferretti LH, Appel TG, Miguel LCM, Madeira L. Avaliação discente e

as Diretrizes Curriculares Nacionais: realidade das clínicas integradas da Univile. Rev ABENO. 2012; 12(2):155-62.

Lamers JMS, Baumgarten A, Bitencourt FV, Toassi RFC. Mudanças curriculares na educação superior em Odontologia: inovações, resistências e avanços conquistados. Rev ABENO. 2016;16(4):2-18.

Santos KT, Ferreira L, Batista RJ, Bitencourt CTF, Araújo RP, Carvalho RB. Student perceptions about the influence of internship extramural in academic dentistry. Rev Odontol UNESP. 2013; 42(6):420-5.

Zilbovicius C. A paradigm shift in predoctoral dental curricula in Brazil: evaluanting the process of change. J Dent Educ. 2011; 75(4):557-64.

Schönwetter DJ, Law D, Mazurat R, Sileikyte R, Nazarko O. Assessing graduating dental students' competencies: the impact of classroom, clinic and externships learning experiences. Eur J Dent Educ. 2011; 15(3):142-52.

Piskorowski WA, Fitzgerald M, Mastey J, Krell RE. Development of a Sustainable Community-Based Dental Education Program. J Dent Educ. 2011; 75(8):1038-43.

Scavuzzi AIF, Gouveia CVD, Carcereri DL, Veeck EB, Ranali J, Costa LJ, et al. Revisão das Diretrizes da ABENO para a definição do Estágio Supervisionado Curricular nos cursos de Odontologia. Rev ABENO. 2015;15(3):109-13.

Jodelet D. Representações sociais: um domínio em expansão. In: Jodelet D. (Org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Ed UERJ, 2001: 17- 44.

Lefèvre F, Lefèvre AMC. O Discurso do Sujeito Coletivo: um novo enfoque em pesquisa qualitativa (Desdobramentos). Caxias do Sul. EDUCS; 2003.

Lefèvre F, Lefèvre AMC. O Discurso do Sujeito Coletivo: uma nova abordagem metodológica em pesquisa qualitativa. Caxias do Sul. EDUCS; 2000.

Lefévre F, Lefévre AMC. O sujeito coletivo que fala. Comunic Saúde Educ. 2006; 10(20):517-24.

Jesus JCM, Ribeiro VMB. Evaluation of the pedagogical training process of preceptors of medical internship. Rev Bras Educ Méd. 2012; 36(2):153-61.

Toassi RFC, Davoglio RS, Lemos VMA. Integração ensino-serviço comunidade: o estágio na atenção básica da graduação em odontologia. Educ. 2012; 28(4):223-42.

Oliveira ET, Vasconcelos MVL, Rodarte RS, Esteves RZ. Odontologia e preceptoria: um olhar para a prática pedagógica dos preceptores de estágio. Rev Bras Promoç Saúde. 2018; 31(Supl):1-10.

Brasil. Lei nº 11.788. Dispõe sobre o estágio de estudantes e dá outras providências. Brasília, DF. Diário Oficial da União, Brasília, 26 de set. 2008 [Acesso em 20 de dez. de 2017]. Disponível em: http://www.cvm.gov.br/export/sites/cvm/menu/acesso_informacao/servidores/estagios/3LEGISLACAO-DE-ESTAGIO.pdf

Maciel JAC, Vasconelos MIO, Castro-Silva II, Teixeira AKM, Farias MR, Queiroz MVO. A integração ensino-serviço em odontologia: uma experiência na Atenção Primária à Saúde no município de Sobral, Ceará. Rev APS. 2016; 19(4):650-55.

Faé JM, Silva-Junior MF, Carvalho RB, Esposti CDD, Pacheco KTS. A integração ensino-serviço em Odontologia no Brasil. Rev ABENO. 2016; 16(3):8-17.

Caldas JB, Lopes ACS, Mendonça RD, Figueiredo A, Lonts JGA, Ferreira EF, Figueira TR. Students' views of the Educational Program for Health Work. Rev Bras Educ Méd. 2012; 36(2):33-41.

Fadel CB, Baldani MH. Percepções de formandos do curso de odontologia sobre as diretrizes curriculares nacionais. Trab Educ Saúde. 2013;11(2):339-54.

Lins TS, Soares FJP, Coelho JAP. Avaliação dos atributos em Atenção Primária à Saúde no Estágio em Saúde da Família. Atenção Primária à Saúde no Estágio em Saúde da Família. Rev Bras Educ Méd. 2016; 40(3): 355-63.

Pessoa TRRF, Castro RD, Freitas CHSM, Reichert APS, Forte FDS. Formação em odontologia e os estágios supervisionados em serviço público de saúde: percepções e vivências de estudantes. Rev ABENO. 2018; 18(2):144-15.

Forte FDS. Reorientação na formação de cirurgiões-dentistas: o olhar dos preceptores sobre estágios supervisionados no sistema Único de Saúde (SUS). Interface Comunic Saúde Educ. 2015; 19(1):831-43.

Rocha HC, Ribeiro VB. Curso de formação pedagógica para preceptores do internato médico. Rev Bras Educ Méd. 2012; 36(3):343-50.

Pimentel EC, Vasconcelos MVL, Rodarte RS, Pedrosa CMS, Pimentel FSC. Ensino e aprendizagem em estágio supervisionado: estágio integrado em saúde. Rev Bras Educ Méd. 2015; 39(3):352-58.

Matuda CG, Pinto, NRS, Martins CL, Frazão P. Colaboração interprofissional na Estratégia Saúde da Família: implicações para a produção do cuidado e a gestão do trabalho. Ciênc Saúde Colet. 2015; 20(8):2511-21.

Pelisoli C, Sacco AM, Barbosa ET, Pereira CO, Cecconello AM. Acolhimento em saúde: uma revisão sistemática em periódicos brasileiros. Est Psicol. 2014; 31(2):225-35.

Lopes AS, Vilar RLA, Melo RHV, França RCS. O acolhimento na Atenção Básica em saúde: relações de reciprocidade entre trabalhadores e usuários. Saúde Debate. 2015; 39(104):114-23.

Ribeiro MA, Cavalcante ASP, Teófilo FKS, Albuquerque IMAN, Vasconcelos MIO. Vivências e estágios na realidade do Sistema Único de Saúde (VER-SUS) como agente promotor de mudança na formação de graduação e nas práticas profissionais. Sau Transf Soc. 2016; 7(1):109-19.

Lemos CLS. Educação Permanente em saúde no Brasil. Educação ou gerenciamento permanente. Ciênc Saúde Colet. 2016;21(3):913-22.

Toassi RFC, Stobaus CD, Mosquera JJM, Moysés SJ. Currículo integrado no ensino de odontologia: novos sentidos para a formação na área da saúde. Interface. 2012; 16(4):529-42.

Viena PFS, Adad SJH, Pedrosa JIS. Reverberações das experiências extramuros no ensino da odontologia. Arq Bras Ciênc Saúde. 2015; 40(3):190-96.

Grande IMP, Prochnow R, Saab R, Pizzatto E. Desafios na formação do cirurgião-dentista para o SUS. Rev Abeno. 2016; 16(3):2-6.

Santa RT, Thalita TA, Vargas AM D, Ferreira EF. O internato rural e a formação de estudantes do curso de Odontologia da UFMG. Interface. 2007;11(23):451-66.

Brasil. Ministério de Educação. Diretrizes Curriculares Nacionais dos Cursos de Graduação em Odontologia. Resolução CNE/CES. 2002. [Acesso em 20 de dez. de 2017]. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CES032002.pdf

Luz GW, Toassi RFC. Percepções sobre o preceptor cirurgião-dentista da Atenção Primária à Saúde no ensino da Odontologia. Rev ABENO. 2016; 16(1):2-12.

Bispo EPF. Tavares CHF. Tomaz JMT. Interdisciplinaridade no ensino em saúde: o olhar do preceptor na Saúde da Família. Interface Comunic Saúde Educ. 2014; 18(49): 337-50.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i1.682

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274