A formação interprofissional na saúde indígena

a experiência do projeto “Huka Katu”– a FORP-USP no Xingu

Autores

  • Wilson Mestriner Junior Universidade de São Paulo
  • Ana Elisa Rodrigues Alves Ribeiro Universidade de Franca
  • Soraya Fernandes Mestriner Universidade de São Paulo
  • Igor Henrique Teixeira Fumagalli Universidade de São Paulo
  • Luana Pinho de Mesquita Lago Universidade de São Paulo https://orcid.org/0000-0002-9863-3062

DOI:

https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1670

Palavras-chave:

Saúde de Populações Indígenas, Educação Interprofissional, Índice de Avaliação de Saúde Bucal Geriátrica, Competência Cultural.

Resumo

Para o alcance dos princípios do Sistema Único de Saúde é necessária a formação de profissionais de saúde integrados à rede de saúde e que reconheçam a necessidade das diferentes realidades brasileiras, como a atenção aos povos indígenas. O objetivo é apresentar um relato de experiência para a reorientação do modelo formador priorizando a integração ensino-serviço-comunidade e a contribuição da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo para a efetivação das Políticas Públicas de Educação e Saúde, explorando sua interface com a Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas e a Política Nacional de Saúde Bucal. As ações formativas propostas no Projeto “Huka Katu” envolvem a reorientação do modelo formador e assistencial junto à comunidade. As etapas preparatória e operacional são desenvolvidas nas disciplinas optativas livres - Atenção à Saúde Bucal em Populações Indígenas I e II. No período da pandemia da COVID-19, a disciplina I tem se desenvolvido em ambiente virtual com uso de metodologias ativas de ensino-aprendizagem e abordagem do cuidado intercultural. A disciplina II é desenvolvida no contexto da atenção primária nas aldeias do Parque Indígena do Xingu, com ênfase na integralidade da atenção em saúde e aprendizagem pela vivência do trabalho em saúde indígena, junto a equipes multiprofissionais. O Projeto tem contribuído na formação de profissionais de saúde para o trabalho em equipe colaborativo, com egressos envolvidos diretamente na assistência ou na gestão de saúde no subsistema de saúde indígena.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Wilson Mestriner Junior, Universidade de São Paulo

Professor Titular do Departamento de Estomatologia, Saúde Coletiva e Odontologia Legal da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - FORP-USP

Ana Elisa Rodrigues Alves Ribeiro , Universidade de Franca

Professora Mestra do curso de Odontologia da Universidade de Franca - UNIFRAN.

Doutoranda em Promoção de Saúde na Universidade de Franca - UNIFRAN

Soraya Fernandes Mestriner, Universidade de São Paulo

Professora Doutora do Departamento de Estomatologia, Saúde Coletiva e Odontologia Legal da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - FORP-USP

Igor Henrique Teixeira Fumagalli, Universidade de São Paulo

Mestrando em Saúde Pública na Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo - EERP-USP

Luana Pinho de Mesquita Lago, Universidade de São Paulo

Professora Doutora no Departamento de Estomatologia, Saúde Coletiva e Odontologia Legal da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto - FORP-USP

 

Referências

(1) Brasil. Constituição 1988. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília (DF): Senado; 1988.

(2) Brasil. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Brasília, 1990.

(3) Brighenti CA. Colonialidade do poder e a violência contra os povos indígenas. PerCursos. 2016; 16(32):103-20.

(4) Brasil. Fundação Nacional de Saúde. Política Nacional de Atenção à Saúde dos Povos Indígenas. - 2ª edição - Brasília: Ministério da Saúde. Fundação Nacional de Saúde, 2002. 40 p.

(5) Mendes AM, Leite MS, Langdon EJ, Grisotti M. O desafio da atenção primária na saúde indígena no Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2018;42:e184.

(6) Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes da política nacional de saúde bucal. Brasília: Ministério da Saúde, 2004.

(7) Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo. Projeto Acadêmico da Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto. 2021; 86p.

(8) Ribeiro D. O povo brasileiro. 14ª Edição. São Paulo: Companhia de Bolso; 2006.

(9) Melatti JC. Índios do Brasil. 9ª Edição. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo; 2014.

(10) Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Estimativas da população residente. Brasília: IBGE; 2020.

(11) Instituto Socioambiental. Almanaque Socioambiental Parque Indígena do Xingu 50 anos: Instituto Socioambiental; 2011.

(12) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Departamento de Gestão da Educação na Saúde. Política Nacional de Educação Permanente em Saúde: o que se tem produzido para o seu fortalecimento? Brasília: Ministério da Saúde, 2018.

(13) Brasil. Ministério da Saúde. Política Nacional da Atenção Básica. Brasília: Ministério da Saúde, 2017.

(14) Peduzi M, Norman IJ, Germai ACCG, Germani, Silva, JAM, Souza GC. Educação interprofissional: formação de profissionais de saúde para o trabalho em equipe com foco nos usuários. Rev Esc Enferm USP. 2013; 47(4):977-83.

(15) World Health Organization. Health professions networks nursing & midwifery human resources for health. Framework for action on interprofessional education & collaborative practice. Geneve: WHO; 2010.

(16) Organização Pan-Americana da Saúde. Educação interprofissional na atenção à saúde: melhorar a capacidade dos recursos humanos para alcançar a saúde universal. Relatório da reunião Bogotá, Colômbia. Washington, DC: OPAS; 2017

(17) Centre for the Advancement of Inter-profesional Education. Interprofessional Education: Today, Yesterday and Tomorrow. Higher Education Academy, Learning and Teaching Support Network for Health Sciences and Practice, Occasional Paper 1. United Kingdom: CAIPE; 2002.

(18) Peduzzi M, Agrelli HF. Trabalho em equipe e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Interface (Botucatu). 2018; 22(Suppl 2):1525-34.

(19) Bondia JL. Notas sobre a experiência e o saber de experiência. Rev Bras Educ. 2002; 19:20-8.

(20) Delors J. Educação um tesouro a descobrir. Relatório para a UNESCO da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 2ª Edição. São Paulo: Cortez Editora; 1999.

(21) Mestriner Junior W, Mestriner SF, Bulgarelli AF, Mishima SM. O desenvolvimento de competências em atenção básica à saúde: a experiência no projeto Huka-Katu. Ciênc Saúde Colet. 2011; 16(Suppl. 1):903-12.

(22) Freire P. Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D'Água; 1993.

(23) Macedo AC, Bairrão JFMH, Mestriner SF, Mestriner Junior W. Ao encontro do Outro, a vertigem do eu: o etnopsicólogo em equipes de saúde indígena. Rev SPAGESP. 2011; 12:85-96.

(24) Ribeiro AERA, Beretta RCS, Mestriner Junior W. Promoção da saúde e efetivação da Reforma Sanitária no contexto dos povos originários. Saúde Debate. 2019; 43(suppl.8):292-304.

(25) Mendonça S, Mestriner Junior W, Mestriner SF, Lemos PN, Hirooka LB, Nunes SAC. Módulo – Saúde Bucal e Vigilância Nutricional – Volume I Área Curricular I. “Conhecendo a família indígena / Promovendo a troca de experiências” [Apostila]. Ribeirão Preto; 2007.

(26) Mestriner SF, Sanches GL, Bulgarelli AF, Mestriner Junior W. Egressos do curso de odontologia: representações sociais de uma experiência extramuros. Sau Transf Soc. 2014; 5(3):25-33.

(27) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Programa de Interiorização do Trabalho em Saúde/PITS. Brasília: Ministério da Saúde; 2003.

(28) Merhy EE. Educação Permanente em Movimento - uma política de reconhecimento e cooperação, ativando os encontros do cotidiano no mundo do trabalho em saúde, questões para os gestores, trabalhadores e quem mais quiser se ver nisso. Saúde redes. 2015; 1(1):7-14.

Publicado

18-10-2021

Como Citar

Mestriner Junior, W., Ribeiro , A. E. R. A. ., Mestriner, S. F., Fumagalli, I. H. T. ., & Lago, L. P. de M. (2021). A formação interprofissional na saúde indígena: a experiência do projeto “Huka Katu”– a FORP-USP no Xingu. Revista Da ABENO, 21(1), 1670. https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1670

Edição

Seção

Formação no SUS: integração da saúde coletiva com a clínica