Trajetória de educação na pós-graduação e atuação profissional de egressos de Odontologia

uma análise de doze anos (2007 a 2019)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1687

Palavras-chave:

Recursos Humanos em Odontologia, Educação de Pós-Graduação em Odontologia, Educação em Odontologia, Capacitação de Recursos Humanos em Saúde, Satisfação no Emprego.

Resumo

Avaliar a trajetória de graduados em Odontologia é importante para garantir o alinhamento adequado dos currículos odontológicos às necessidades da sociedade. Este estudo observacional transversal descritivo teve como objetivo caracterizar o perfil sociodemográfico-familiar e a trajetória de educação na pós-graduação e de atuação profissional de cirurgiões-dentistas egressos de universidade pública do Sul do Brasil. Foram convidados a participar do estudo todos os egressos que concluíram a graduação em Odontologia nesta universidade, entre 2007 e 2019. A coleta de dados aconteceu pelo autopreenchimento de instrumento semiestruturado online, pré-testado, organizado em três dimensões (perfil sociodemográfico-familiar, educação na pós-graduação e atuação profissional). A análise das questões objetivas foi realizada por estatísticas descritivas e as abertas pela análise temática de conteúdo. Participaram do estudo 245 cirurgiões-dentistas (percentual de resposta: 25,7%). A maioria eram mulheres (68,6%), com 26 a 32 anos (73,9%), solteiros (71,4%), sem filhos (92,7%), naturais (51,4%) e residentes (59,2%) na cidade onde cursaram Odontologia e trabalham (67,5). A renda pessoal mensal foi de 5 a 10 salários mínimos (36,7%). Atuam na Odontologia (97,1%) e estão satisfeitos com a profissão (79,6%). Realizaram ou estão realizando cursos de pós-graduação (94,3%), concluídos em até três anos após a graduação (58%), principalmente especialização (62,8%), nas áreas de Saúde Coletiva, Ortodontia e Implantodontia. Setor privado mostrou-se o maior empregador dos cirurgiões-dentistas (60,8%), entretanto, a atuação no serviço público cresceu entre os egressos de 2010-2019 (2,4% para 20,7%). Estudos de acompanhamento destes egressos são recomendados para avaliação do curso e das demandas/desafios contextuais que caracterizam a profissão de cirurgião-dentista no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Michelli Justen, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS

Estudante de graduação em Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bolsista PET Odontologia, UFRGS.

Guilherme Vidal da Silva, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS

Estudante de graduação em Odontologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Bolsista PET Odontologia, UFRGS.

Juliana Maciel de Souza Lamers, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS

Doutoranda em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Técnica em Assuntos Educacionais, Faculdade de Odontologia da UFRGS.

Roger Junges, University of Oslo (UiO)

Professor Associado, Institute of Oral Biology, Faculty of Dentistry, University of Oslo (UiO).

Ramona Fernanda Ceriotti Toassi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Porto Alegre, RS

Departamento  de Odontologia Preventiva e Social da Faculdade de Odontologia. Programa de Pós-graduação em Ensino na Saúde da Faculdade de Medicina.

Referências

(1) Morita MC, Uriarte Neto M, Fontanella VR, Haddad AE. The unplanned and unequal expansion of Dentistry courses in Brazil from 1856 to 2020. Braz Oral Res. 2021;35:e009.

(2) Marques MD, Souza CA, Pazos CT, Amaral DS, Vieira EG, Campos WC, Amorim Carvalho EJ. Expectativas dos estudantes de Odontologia quanto ao futuro profissional. Rev ABENO. 2015;15(3):50-68.

(3) Santos BR, Gonzales PS, Carrer FC, Araújo ME. Perfil e expectativas dos ingressantes da Faculdade de Odontologia da USP: uma visão integrada com as diretrizes curriculares nacionais e o sistema único de saúde. Rev ABENO. 2015;15(1):28-37.

(4) Toassi RFC, Souza JM, Rösing CK, Baumgarten A. Perfil sociodemográfico e perspectivas em relação à profissão do estudante de odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2012;52(1/3):25-32.

(5) Costa SM, Durães SJA, Abreu MHNG, Bonan PRF, Vasconcelos M. Motivos de escolha da odontologia: vocação, opção ou necessidade? Arqui Odontol. 2010;46(1):28-37.

(6) Mashlah AM. Dentistry students’ reasons for choosing dentistry as a career in Damascus University. East Mediterr Health J. 2012;18(5):508-14.

(7) Cavalcanti AL, Lima WG, Marques JLS, Alves HF, Granville-Garcia AF. Motives of the entrance and dropout of undergraduate dental students from a public institution. Rev odontol UNESP. 2010;39(2):95-9.

(8) Mendes MS, Valente MP, Rodriguês EC, Siqueira JA, Silva EB, Santos NC, Flório FM, Zanin LS, Oliveira AM. Perfil dos estudantes que ingressam no curso de Odontologia: motivos da escolha. Rev ABENO. 2018;18(4):120-9.

(9) Toassi RFC, Souza JM, Baumgarten A, Rösing CK. Avaliação curricular na educação superior em odontologia: discutindo as mudanças curriculares na formação em saúde no Brasil. Rev ABENO. 2012;12(2);170-7.

(10) Silva Junior A, Martins-Silva PO, Vasconcelos KC, Silva V. Felicidade! Passei no vestibular, mas a faculdade é particular: paradoxos da educação superior brasileira. Educ Policy Anal Arch. 2017;25(97):1-35.

(11) Bielschowsky CE. Tendências de precarização do ensino superior privado no Brasil. Rev Bras Polít Adm Educ. 2020;36(1):241-71.

(12) Rösing CK. Faculdade de Odontologia da UFRGS: 120 anos educando - um recorte dos 100 aos 120 anos. Porto Alegre: Faculdade de Odontologia da UFRGS, 2018.

(13) Brasil. Resolução CNE/CES 3/2002, de 19 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Odontologia. Diário Oficial da União, 4 mar 2002.

(14) Lamers JM, Santos BS, Toassi RFC. Retenção e evasão no ensino superior público: estudo de caso em um curso noturno de odontologia. Educ Rev. 2017; (33)e154730.

(15) Haddad F. O Plano de Desenvolvimento da Educação: razões, princípios e programas. Brasília: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, 2008.

(16) Brasil. Análise sobre a Expansão das Universidades Federais 2003 a 2012. Brasília: Ministério da Educação, 2012.

(17) Junges R, Stello RS, Portella FF, Rösing CK, Samuel SM. Impact of the implantation of a new curriculum in the process of learning in a Faculty of Dentistry in Brazil. Braz Oral Res. 2011:478-84.

(18) Warmling CM, Rossoni E, Hugo FN, Toassi RFC, Lemos VA, Slavutski SM, Antunes AA, Rosa AR. Estágios curriculares no SUS: experiências da Faculdade de Odontologia da UFRGS. Rev ABENO. 2011;11(2):63-70.

(19) Toassi RFC. Baumgarten A, Warmling CM, Rossoni E, Rosa AR, Slavutzky SM. Teaching at primary healthcare services within the Brazilian National Health System (SUS) in Brazilian healthcare professionals’ training. Interface Comun Saúde Educ. 2013;17(45):385-92.

(20) Bulgarelli AF, Souza KR, Baumgarten A, Souza JM, Rosing CK, Toassi RFC. Formação em saúde com vivência no Sistema Único de Saúde (SUS): percepções de estudantes do curso de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Brasil. Interface Comun Saúde Educ. 201417;18(49):351-62.

(21) Lamers JM, Baumgarten A, Bittencourt FV, Toassi RFC. Mudanças curriculares na educação superior em Odontologia: inovações, resistências e avanços conquistados. Rev ABENO. 2016;16(4):2-18.

(22) Toassi RFC, Stoffels D, Bergamaschi IP, Silva AD, Rados PV. Seminário de integração como dispositivo de inovação curricular no ensino da saúde: a percepção do estudante sobre o paciente. Rev Bras Educ Méd. 2016;40(3):487-96.

(23) Toassi RFC, Souza J, Rosing CK, Baumgarten A. Perfil sociodemográfico e perspectivas em relação à profissão do estudante de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Brasil. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2011;52:25-32.

(24) Souza JM, Weschenfelder HC, Toassi RFC. Expansão da educação superior no Brasil a partir do REUNI: o curso noturno de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rev GUAL. 2014;7(1):63-78.

(25) Böckmann FS, Motta BB, Camargo JM, Petry PC, Toassi RFC. The profile of Dentistry students at Federal University of Rio Grande do Sul and expectations regarding the profession, 2010-2011. RGO (Porto Alegre). 2014;62(3):267-74.

(26) Souza JM, Souza MG, Toassi RFC. Democratização do acesso à educação superior pública a partir do Reuni: o curso de odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Criar Educação. 2015; 4(1):1-21.

(27) Lima LA, Andriola WB. Acompanhamento de egressos: subsídios para a avaliação de Instituições de Ensino Superior (IES). Avaliação (Campinas). 2018;23(1):104-25.

(28) Nunes MF, Silva ET, Santos LB, Queiroz MG, Leles CR. Profiling alumni of a Brazilian public dental school. Hum Resour Health. 2010;8(1). DOI: 10.1186/1478-4491-8-20.

(29) Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

(30) Kfouri MG, Moyses SJ, Moyses ST. Women's motivation to become dentists in brazil. J Dent Educ. 2013 Jun;77(6):810-6.

(31) Costa BA, Gonçalves CF, Zanin L, Flório FM. Inserção de egressos de Odontologia do Tocantins no mercado de trabalho. Rev ABENO. 2016;16(2):93-104.

(32) Ferraz MA, Nolêto MD, Martins LL, Bandeira SR, Portela SG, Pinto PH, Freitas SA, Leite CM, Bezerra Filho JC, Rêgo MR. Perfil dos egressos do curso de Odontologia da Universidade Estadual do Piauí. Rev ABENO. 2018;18(1):56-62.

(33) Sérgio AF, Lima CC, Viana PF. Inserção no mercado de trabalho de egressos de um curso de odontologia do Piauí. Rev ABENO. 2020;20(2):147-58.

(34) Morita MC, Haddad AE, Araújo ME. Perfil atual e tendências do cirurgião-dentista brasileiro. Maringá: Dental Press, 2010.

(35) Ribeiro CC, Ceneviva R, Brito MMA. Estratificação educacional entre jovens no Brasil: 1960 a 2010. In: Arretche M (org). Trajetórias das desigualdades: como o Brasil mudou nos últimos cinquenta anos. São Paulo: Editora UNESP; CEM; 2015. p. 79-108.

(36) Felicetti VL, Morosini MC, Cabrera AF. Estudante de primeira geração (P-GER) na educação superior brasileira. Cad Pesqui. 2019; 49(173):28-43.

(37) Paranhos LR, Ricci ID, Scanavini MA, Bérzin F, Ramos AL. Análise do mercado de trabalho odontológico na região sul do Brasil. RFO UPF. 2009; 14(1):7-13.

(38) Melo Júnior PC, Oliveira LG, Guimarães RP, Beatrice LC, Pedrosa MS, Silva CH. Perfil dos egressos do curso de odontologia da Universidade Federal de Pernambuco. Rev ABENO. 2018; 18(3): 93-104.

(39) Sousa JE, Maciel LK, Oliveira CA, Zocratto KB. Mercado de trabalho em odontologia: perspectivas dos estudantes concluintes de faculdades privadas no município de Belo Horizonte, Brasil. Rev ABENO. 2017; 17(1):74-86.

(40) Matos MS, Tenório RM. Expectativas de estudantes de odontologia sobre o campo de trabalho odontológico e o exercício profissional. Rev Bras Pesqui Saúde. 2011;13(4):10-21.

(41) Barbosa K, Dias J, Cavalcante G, Nóbrega L, Granville-Garcia A, D’ávila S. Formação e perspectiva do mercado de trabalho sob o olhar de alunos de odontologia. Pesqui Bras Odontopediatria Clín Integr. 2013(1):89-94.

(42) Pinheiro IA, Noro LR. Egressos de Odontologia: o sonho da profissão liberal confrontado com a realidade da saúde bucal. Rev ABENO. 2016;16(1):13-24.

(43) Nascimento AC, Moysés ST, Werneck RI, Moysés SJ. Oral health in the context of primary care in Brazil. Int Dent J. 2013 Oct;63(5):237-43.

(44) Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília, 2004.

(45) Pucca Júnior GA, Gabriel M, de Araujo ME, de Almeida FC. Ten years of a national oral health policy in Brazil: innovation, boldness and numerous challenges. J Dent Res. 2015;94(10):1333-7.

Publicado

18-10-2021

Como Citar

Justen, M. ., Silva, G. V. da, Lamers, J. M. de S., Junges, R., & Toassi, R. F. C. (2021). Trajetória de educação na pós-graduação e atuação profissional de egressos de Odontologia: uma análise de doze anos (2007 a 2019). Revista Da ABENO, 21(1), 1687. https://doi.org/10.30979/revabeno.v21i1.1687

Edição

Seção

Artigos