Ensino baseado em problemas como prática pedagógica aplicada a alunos ingressantes no curso de Odontologia

Magali Luci Pinto, Florence Zumbaio Mistro, Sofia Takeda Uemura

Resumo


A dificuldade apresentada pelos profissionais da área da saúde quando no início do exercício de sua profissão tem sido amenizada com o uso de práticas metodológicas diferenciadas durante a sua formação, como o ABP (Aprendizado Baseado em Problemas) mais conhecido como Problem Based Learning (PBL). O presente estudo relata a experiência do uso do PBL como prática de extensão para os alunos ingressantes no curso de Odontologia. Casos clínicos reais e hipotéticos são apresentados com o objetivo de resgatar o conteúdo da estrutura curricular e acrescentar gradualmente o uso de termos específicos da área e o desenvolvimento da capacidade de avaliar condutas. Cada caso foi apresentado em duas sessões, a partir das quais cada grupo elaborava um diagnóstico, identificava os conceitos multidisciplinares presentes e os a serem adquiridos. Com o decorrer da prática, as discussões dos casos e propostas de diagnósticos foram realizadas como reuniões clínicas para prática de liderança e interação de equipe. Concluímos que a prática pedagógica PBL, utilizada desde o início do curso, contribui para a formação de um estudante com perfil diferenciado, mais capacitado ao aprendizado de disciplinas específicas e mais seguro para atuação no mercado de trabalho.


Palavras-chave


Aprendizagem Baseada em Problemas. Práticas Pedagógicas. Odontologia.

Texto completo:

PDF

Referências


Veiga IPA. A prática pedagógica do professor de didática. Papirus. 1994.

Pinto ML. Práticas Pedagógicas no Ensino Superior. A aprendizagem baseada em proble-mas (ABP) ou Problem Based Learning (PBL) na área da saúde. Copyright 2013;183-201.

Rosario P, Núñez JC, Pienda-Gonzalez JA. Cartas de Gervásio ao seu umbigo. 2ª ed. Almedina. 2006.

Barrows HS. A taxonomy of problem based learning. Med-Educ 1986;20(6):482-6.

Dewey J. Democracia e educação: introdução à filosofia da educação. 1959. Disponível em: http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me4677.pdf

Dewey J. Reconstrução em filosofia. 1959; 2ª ed. Tradução de António Pinto de Carvalho Liberalismo, liberdade e cultura. Nacional. 1970.

Dewey J. Escola Nova e Construtivismo: continuidade, descontinuidade e recontextualização. In: Almeida, JS. Estudos sobre a profissão docente. Cultura Acadêmica. 2001.

Penaforte J. John Dewey e as raízes filosóficas da aprendizagem baseada em problemas. In: Mamede S, Penaforte J, Schimdt H, Caprara A, Tomaz JB, Sá H. Aprendizagem baseada em problemas: anatomia de uma nova abordagem educacional. Editora Hucitec. 2001:49-78.

Albanese MA, Mitchell S. Problem-based learning: a review of literature on its outcomes and implementation issues. Acad Med 2003; 68(1):52-81.

Freire P. Pedagogia do oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra. 1970.

Troncon LEA. Avaliação do estudante de medicina. Medicina 1996; 29:429-439.

Perrenoud P, Gather TM, De Macedo L, Machado NJ, Allessandrini CD. As competências para Ensinar no Século XXI. A Formação dos Professores e o Desafio da Avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2002; 11:33-39.

Vignochi CM, Benetti CS, Machado CL, Bezerra MWC. Considerações sobre aprendizagem baseada em problemas na educação da saúde. Rev HCPA 2009; 29(1):45-50.

Vasconcelos C. Avaliação: concepção dialética-libertadora do processo de avaliação escolar. São Paulo: Libertad. 1994.

Price DA. Tutor training for problem-based-learning: the experience of a large medical school. In: Scherpbier AJJA, van der Vleuten CPM, Rethans JJ, van der Steeg AFW. Advances in Medical Education. Springer-Verlag: Berlim, 1997.

Duch BJ, Groh SE, Allen DE. The power of problem-based learning. Sterling Stylus, 2001.

Escrivão Filho E, Ribeiro RLC. Aprendendo com PBL – aprendizagem baseada em problemas: relato de uma experiência em cursos de engenharia da EESC-USP. Minerva Pesq Tecnol 2009;6(1): 23-30.

Martins JG. Aprendizagem baseada em problemas aplicada em ambiente virtual de aprendizagem. Tese (doutorado) Universidade Federal de Santa Catarina. 2002.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v16i3.278

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274