Avaliação contínua da aprendizagem por meio da aplicação de quiz semanal no ensino da Periodontia

Joao Paulo Steffens, Stephanie von Stein Cubas Warnavin, Humberto Osvaldo Schwartz Filho, Geisla Mary Silva Soares, Ângela Fernandes, Edison Luiz Almeida Tizzot

Resumo


A avaliação contínua e rotineira mantém o estudante sob constante estudo, leitura e aprendizado, além de suavizar o impacto das avaliações teóricas formais sobre os critérios tradicionais de aprovação. O objetivo deste estudo foi avaliar o impacto da aplicação de quiz semanal sobre a nota da avaliação teórica formal no componente curricular Periodontia I do Curso de Odontologia da Universidade Federal do Paraná. Para este estudo observacional retrospectivo, avaliaram-se os campos "nota quiz" e "nota avaliação" dos diários de classe das turmas do primeiro e segundo semestres de 2016, respectivamente “sem quiz" (n=53) e “com a realização de quiz semanal” (n=55). As avaliações teóricas formais foram idênticas para as duas turmas. Os dados referentes ao número de quizzes realizados e média das notas de quiz foram tabulados. As análises estatísticas utilizadas foram teste t de Student e coeficiente de correlação de Spearman. A aplicação de quiz semanal deslocou a curva referente às notas de avaliação teórica à direita, sendo que as notas foram significativamente maiores neste grupo (p<0.01). Além disso, houve correlação significativa entre a nota da avaliação teórica e o número de quizzes realizados por cada estudante (r=0,39; p<0,01), bem como com a média da nota do quiz (r=0,47; p<0,01). Concluiu-se que a utilização de quiz semanal como instrumento de avaliação da aprendizagem influi positivamente no grau de conhecimento adquirido, provavelmente devido a um maior estímulo à leitura e estudo constante.


Palavras-chave


Avaliação Educacional. Aprendizagem. Periodontia. Estudo Observacional. Educação em Odontologia.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Kenski VMA. Vivência escolar dos estagiários e a prática de pesquisa em estágios supervisionados. In: Piconez SCB, org. A prática de ensino e o estágio supervisionado. 2. ed. Campinas: Papirus; 1994.

Luz AA. A avaliação no ensino superior. Educ Rev. 1997; 13:55-66.

Marquesin DFB, Benevides CR. Avaliação da aprendizagem no ensino superior. Reflexões sobre a “cola”. Rev Educ. 2011; 18:9-18.

Lei 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Presidência da República. [Acesso em 17 mar. 2017]. Disponível em: http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L9394.htm.

Matias KK. Metodologias de ensino e práticas pedagógicas em um curso de graduação em odontologia [tese de doutorado]. Universidade Federal de Goiás, 2013. 132 pp.

Carvalho WM, Cawahisa PT, Scheibel PC, Botelho JN, Terada RSS, Rocha NB, et al. Aceitação da utilização de metodologias ativas nos estágios no SUS por discentes da graduação e pós-graduação em odontologia. Rev ABENO. 2016;16:88-98.

Reul MA, Lima ED, Irineu KN, Lucas RSCC, Costa EMMB, Madruga RCR. Metodologias ativas de ensino aprendizagem na graduação em odontologia e a contribuição da monitoria – relato de experiência. Rev ABENO. 2016;16:62-8.

De Deus JM, Nonato DR, Alves RRF, Silva MMM, Amaral AF, Bollela VR. Aula centrada no aluno versus aula centrada no professor. Desafios para mudança. Rev Bras Educ Méd. 2014; 58:419-26.

Freitas CM, Freitas CASL, Parente JRF, Vasconcelos MIO, Lima GK, Mesquita KO, et al. Uso de metodologias ativas de aprendizagem para a educação na saúde: análise da produção científica. Trab Educ Saúde. 2015;13:117-30.

Resolução CNE/CES 3, de 19 de fevereiro de 2002. Conselho Nacional de Educação e Câmara de Educação Superior. [Acesso em 17 mar. 2017]. Disponível em: http://portal.mec. gov.br/cne/arquivos/pdf/CES032002.pdf.

Freeman S, Eddy SL, McDonough M, Smith MK, Okoroafor N, Jordt H, et al. Active learning increases student performance in Science, engineering, and mathematics. Proc Natl Acad Sci USA. 2014; 111:8410-15.

Frota MMA, Menezes LMB, Alencar CH, Jorge LS, Almeida MEL.O portfólio como estratégia facilitadora do processo de ensino-aprendizagem para a formação em odontologia. Adequação de metodologias de ensino utilizando o ambiente virtual de aprendizagem. Rev ABENO. 2011;11:23-8.

Saliba NA, Moimaz SAS, Chiaratto RA, Tiano AVP. A utilização da metodologia PBL em odontologia: descortinando novas possibilidades ao processo ensino-aprendizagem. Rev Odonto Ciênc. 2008;23: 392-6.

Santos FA, Castro FF, Moura ME, Pochapski MT, Pilatti GL. Metodologias de sala de aula invertida no ensino de Periodontia [resumo]. Rev ABENO. 2016;16(supl 2):54.

Silva JMA, Canedo RV, Abrantes TAS, Santos RT, Souza RA, Utagawa CY. Quiz: um questionário eletrônico para autoavaliação e aprendizagem em genética e biologia molecular. Rev Bras Educ Méd. 2010;34:607-14.

Vasconcelos EM. Educação popular: de uma prática alternativa a uma estratégia de gestão participativa das políticas de saúde. Physis (Rio J). 2004;14:67- 83.

Noro LRA, Farias-Santos BCS, Sette-de-Souza PH, Pinheiro IAG, Borges REA, Nunes LMF, et al. O professor (ainda) no centro do processo ensino-aprendizagem em Odontologia. Rev ABENO. 2015;15:2-11.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i4.623

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274