Desenvolvimento de habilidades na formação de estudantes de Odontologia: a contribuição da Terapia Ocupacional e da Psicologia

Isabel Cristina Luck Coelho de Holanda, Luara da Costa França, Sandra Helena de Carvalho Albuquerque, Veruska Gondim Fernandes, Sharmênia de Araújo Soares Nuto

Resumo


Relata-se a experiência de um Curso de Odontologia no desenvolvimento de habilidades psicomotoras, cognitivas e sociais dos discentes a partir da atuação interprofissional entre as áreas de Odontologia, Psicologia e Terapia Ocupacional. Descreve-se o diagnóstico e o acompanhamento do desenvolvimento dessas habilidades em atividades curriculares obrigatórias (unidades curriculares) e não obrigatórias (Projeto de Acompanhamento de Competências Técnicas de Odontologia – PACTO). Verificou-se que, além do pioneirismo da inserção curricular da Psicologia e da Terapia Ocupacional no desenvolvimento de habilidades para a práxis odontológica, essa experiência visibiliza aos docentes e discentes e à comunidade acadêmica a importância dos aspectos psicomotores, cognitivos e sociais no processo de ensino-aprendizagem em Odontologia.

Palavras-chave


Ensino. Educação Superior. Estudantes de Odontologia.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


Cavalcanti A, Silva e Dutra FCM, Elui VMC. Estrutura da prática da Terapia Ocupacional: domínio & processo. Rev Ter Ocup Univ São Paulo. 2015; 26 (ed. especial): 1-49.

Rosa Neto F. Manual de avaliação motora. 2 ed. Florianópolis: DIOESC; 2014.

Tabaquim MLM. Desenvolvimento cognitivo. In: Rodrigues SD, Azoni CAS, Ciasca SM. (Org.). Transtornos do desenvolvimento: da identificação precoce às estratégias de intervenção. Ribeirão Preto: Book Toy; 2014. p. 75-84.

Del Prette ZAP, Del Prette A. Psicologia das habilidades sociais: terapia e educação. Petrópolis: Vozes; 2000.

Bock AMB. Psicologias: uma introdução ao estudo da psicologia. 13 ed. São Paulo: Saraiva; 2003.

Gonçalvez MGM. Psicologia, subjetividade e política públicas. São Paulo: Cortez; 2010.

Benzaquen GP, Moreci PR. Capacitação do médico para comunicar más notícias à criança. Rev Bras Educ Méd. 2008; 32(4):468-73.

Noro LRA, Nuto SAS, Moreira TP, Moura KS, Novais PMR. Projeto pedagógico: a construção coletiva. In: Noro LRA, org. Curso de Odontologia da UNIFOR: 10 anos ensinando e aprendendo. Fortaleza: Universidade de Fortaleza, 2005.

Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal; 1988.

Código de ética (2012). Código de ética odontológico. Rio de Janeiro, RJ: Conselho Federal de Odontologia; 2012.

Nestel D, Tierney T. Role-play for medical students learning about communication: guidelines for maximising benefits. BMC Med Educ. 2007; 7(3):1-9.

Pico BF, Kopp MS. Paradigm shifts in medical and dental education: Behavioral sciences and behavioral medicine. Eur J Dent Educ. 2004;8(1): 25-31.

Veerkamp JSJ, Gruythuysen RJM, Van Amerongen WE, Hoogstraten J, Weerhijm KL. (1995). Dentist’s ratings of child dental-patients’ anxiety. Commun Dent Oral Epidemiol. 1995; 23(6):356-9.

Guimaraes J. Relações paciente-profissional, o evento central das ciências da saúde. In: Marcucci G. Fundamentos de Odontologia – Estomatologia. 2 ed. Santos: VitalBook, 2014. p. 39-58.

Miyadahira AMK. Capacidades motoras envolvidas na habilidade psicomotora da técnica de ressuscitação cardiopulmonar: subsídios para o processo ensino-aprendizagem. Rev Esc Enferm USP. 2001; 35(4):366-73.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i1.661

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274