Significados do estágio em Unidades Básicas de Saúde para estudantes de graduação

Lucimar Aparecida Britto Codato, Mara Lúcia Garanhani, Alberto Durán González, Daniela Lemos Carcereri, Brigida Gimenez Carvalho, Maria Celeste Morita

Resumo


Trata-se de pesquisa qualitativa, com abordagem fenomenológica hermenêutica, apoiada nos ensinamentos de Martin Heidegger que buscou compreender os significados do estágio em Unidade Básica de Saúde (UBS), entendido como uma possibilidade de habitar e 'ser-com-outro' no mundo do trabalho, para dez estudantes do último ano da graduação. Para os pesquisados, coabitar o mundo da UBS é percebido como cumprimento de uma orientação educacional obrigatória, que pode qualificar a formação e também uma possibilidade de as pessoas envolvidas ensinarem e aprenderem. Porém, o estudo desvelou a necessidade de fortalecimento da comunicação entre docentes e estudantes para que as intencionalidades e as potencialidades da integração ensino-serviço de saúde estejam mais claras para os estudantes. Os estudantes parecem ter sido lançados na UBS sem muito conhecimento e apropriação em relação ao porquê de eles vivenciarem este espaço existencial.


Palavras-chave


Estágios. Pesquisa Qualitativa. Educação Superior. Atenção Primária à Saúde. Serviços de Integração Docente-Assistencial.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


ONU, 1978. Conferência Internacional sobre Cuidados Primários de Saúde. Alma-Ata, URSS, 6-12 de setembro de 1978.

UNESCO. Conferência Mundial sobre Educação Superior. Declaração Mundial sobre Educação Superior no Século XXI: Visão e Ação. Paris: UNESCO, 1998.

UNESCO. Conferência Mundial sobre Ensino Superior 2009: As Novas Dinâmicas do Ensino Superior e Pesquisas para a Mudança e o Desenvolvimento Social. Paris: UNESCO, 2009.

Brasil. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, 1988.

Souza AL, Carcereri DL. Estudo qualitativo da integração ensino-serviço em um curso de graduação em Odontologia. Interface Comunic Saúde Educ. 2011;15(39):1071-84.

Fonseca GS, Junqueira SR, Zilbovicius C, Araujo ME. Educação pelo trabalho: reorientando a formação de profissionais da saúde. Interface Comunic Saúde Educ. 2014;18(50):571-83.

Carvalho SOB, Duarte LR, Guerrero JMA. Parceria ensino e serviço em unidade básica de saúde como cenário de ensino-aprendizagem. Trab Educ Saúde. 2015;13(1):123-44.

Codato LAB, Garanhani ML, González AD, Fernandes MFP. Estudantes, docentes e profissionais na Atenção Básica: coexistência segundo a fenomenologia heideggueriana. Trab Educ Saúde. 201;15(2):519-36.

Vasconcelos ACF, Stedefeldt E, Frutuoso MFP. Uma experiência de integração ensino-serviço e a mudança das práticas profissionais: com a palavra os profissionais de saúde. Interface Comunic Saúde Educ. 2016;20(56):147-58.

Siqueira-Batista R, Gomes AP, Albuquerque VS, Cavalcanti FOL, Cotta RMM. Educação e competências para o SUS: é possível pensar alternativas à(s) lógica(s) do capitalismo tardio? Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(1):159-70.

Ellery AEL, Bosi MLM, Loiola FA. Integração ensino, pesquisa e serviços em Saúde: antecedentes, estratégias e iniciativas. Saúde Soc. 2013;22(1):187-98.

Heidegger M. Ser e tempo. Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: Editora Universitária São Francisco, 2006, 598p.

Codato LAB. Integração ensino-serviço de saúde: uma compreensão por meio da fenomenologia heideggeriana. Tese (Doutorado em Saúde Coletiva) - Universidade Estadual de Londrina, Londrina, 2015.

Garanhani ML, Valle ERM. Educação em Enfermagem. Análise existencial em um currículo integrado sob o olhar de Heidegger. Londrina, EDUEL, 2010.

González AD, Bortolotto MSS, Almeida M, Melchior R, Nunes EFPA. Fenomenologia heideggeriana como referencial para estudos sobre formação em saúde. Interface Comunic Saúde Educ. 2016;16(42):809-17.

Minayo MCS(org.). Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 15 ed. Petrópolis: Vozes, 2000.

Araújo JL, Paz EPA, Moreira TMM. Hermenêutica e saúde: reflexões sobre o pensamento de Hans-Georg Gadamer. Rev Esc Enferm USP. 2012;46(1):200-7.

Anéas TV, Ayres JRCM. Significados e sentidos das práticas de saúde: a ontologia fundamental e a reconstrução do cuidado em saúde. Interface Comunic Saúde Educ. 2011;15(38):651-62.

Merighi MAB. Enfermeiras obstétricas egressas da Escola de Enfermagem da Universidade de São Paulo: caracterização e trajetória profissional. Tese (Livre Docência) - Escola de Enfermagem, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2000.

Josgrilberg, RS. O método fenomenológico e as ciências sociais. In: Castro, DSP. (org). Fenomenologia do existir. São Paulo: Universidade Metodista de São Paulo; 2000. p.75- 93.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466/12 de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília Diário Oficial da União, 2013.

Finkler M, Caetano JC, Ramos FRS. Ética e valores na formação profissional em saúde: um estudo de caso. Ciênc Saúde Coletiva. 2013;18(10):3033-42.

Neta AA, Alves MSC. A comunidade como local de protagonismo na integração ensino-serviço e atuação multiprofissional. Trab Educ Saúde. 2016;14(1):221-35.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v19i1.662

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274