Orientação acadêmica: percepções de discentes e docentes sobre a prática pedagógica na formação em Odontologia

Raul Elton Araújo Borges, Bruno Cesar de Vasconcelos Gurgel, Maria Cristina dos Santos Medeiros, Patrícia dos Santos Calderon

Resumo


O estudo objetivou avaliar o papel da orientação acadêmica e os desafios atuais relacionados a essa prática pedagógica durante a formação acadêmica em Odontologia, na percepção de docentes e discentes. Trata-se de estudo de natureza quantiqualitativa, desenvolvido no curso de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). A coleta de dados foi realizada por meio de questionários semiestruturados, respondidos por 106 estudantes e 15 professores de Odontologia com experiência em orientação acadêmica. A análise quantitativa dos resultados utilizou estatísticas descritivas e, na sequência, realizou-se avaliação qualitativa por meio da técnica de análise de conteúdo. As percepções discentes demostraram fragilidades no desempenho dos professores orientadores acadêmicos, principalmente em relação ao vínculo com a turma, período e frequência dos encontros, assim como metodologia adotada. Os docentes apontaram a necessidade de estratégias de educação permanente, visando sua qualificação para o exercício dessa função. Conclui-se que existe subaproveitamento dessa prática pedagógica na formação em Odontologia. Para superar esta fragilidade e os desafios inerentes à prática, na visão dos discentes é necessário que os orientadores acadêmicos se tornem mais presentes no cotidiano universitário desde o primeiro período, com orientações precoces sobre as suas obrigações e mediando o processo de formação acadêmica em todas as fases do curso. Para os docentes, é necessário investir em processos permanentes de desenvolvimento docente.


Palavras-chave


Educação em Odontologia. Docentes de Odontologia. Desenvolvimento de Pessoal.

Texto completo:

PDF PDF (English)

Referências


(1) Fonseca EP. As diretrizes curriculares nacionais e a formação do cirurgião-dentista brasileiro. J Manag Prim Health Care. 2012; 3(2):158-78.

(2) Warmling, CM, Marzola, NR, Botazzo C. Da autonomia da boca: práticas curriculares e identidade profissional na emergência do ensino brasileiro da odontologia. Hist Ciênc Saúde Manguinhos. 2012; 19 (1):181-95.

(3) Zilbovicius C, Araujo ME, Botazzo C, Frias AC, Junqueira SR, Junqueira CR. A paradigm shift in predoctoral dental curricula in Brazil: evaluating the process of change. J Dent Educ. 2011,75 (4):557-64.

(4) Freitas SFT, Calvo MCM, Lacerda JT. Saúde coletiva e novas diretrizes curriculares em odontologia: uma proposta para graduação. Trab Educ Saúde. 2012; 10(2):223-34.

(5) Junges R, Stello RS, Rösing CK, Samuel SMW. Impact of new curriculum implementation on student experience in a school of dentistry in Brazil. Braz Oral Res. 2011; 25(6):478-84.

(6) Noro LRA, Farias-Santos BCS, Sette-de-Souza PH, Pinheiro IAG, Borges REA, Nunes LMF, et al. O professor (ainda) no centro do processo ensino-aprendizagem em Odontologia. Rev ABENO. 2015; 15(1): 2-11.

(7) Secco LG, Pereira MLT. Concepções de qualidade de ensino dos coordenadores de graduação: uma análise dos cursos de odontologia do Estado de São Paulo. Interface Comun Saúde Educ. 2010;8(15) :313-30.

(8) Scorzoni MF, Bueno SMV, Coscrato G. O currículo e as implicações dos novos paradigmas educacionais na formação do enfermeiro. Saúde Transform Soc. 2013; 4(1):11-5.

(9) Ferreira NP, Dantas TS, Sena-Filho M, Rocha DG. Clínica integrada e mudança curricular: desempenho clínico na perspectiva da integralidade. Pesqui Bras Odontop Clín Integr. 2012;12(1):33-9.

(10) Ministério da Educação. RESOLUÇÃO Nº 171/2013-CONSEPE, de 5 de novembro de 2013. Regulamento dos Cursos Regulares de Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, RN. 2013. [Acesso em: 01/03/2019]. Disponível em: https://ufrn.br/resources/documentos/regulamentos/regulamento-dos-cursos-regulares-de-graduao-da-UFRN.pdf.

(11) Bardin, L. Análise de conteúdo.70 ed. São Paulo: Almedina; 2011.

(12) Toassi RFC, Souza JM, Baumgarten A, Rösing CK. Avaliação curricular na educação superior em odontologia: discutindo as mudanças curriculares na formação em saúde no Brasil. Rev ABENO. 2012; 12(2):170-7.

(13) Toassi RFC. Integrated curriculum for teaching dentistry: new directions for training in the field of healthcare. Interface (Botucatu). 2012;16(41):529-42.

(14) Reul MA, Lima ED, Irineu KN, Cardoso RSC, Costa EMMB, Madruga RCR. Metodologias ativas na graduação em Odontologia e a contribuição da monitoria. Rev ABENO. 2016; 16 (2): 62-8.

(15) Júnior AMLF, Miranda NR, Assunção R, Silva SA, Oliveira FAM, Oliveira RG. Percepção de estudantes de Odontologia sobre metodologias ativas no processo de ensino-aprendizagem. Rev ABENO. 2016; 16(3):66-77.

(16) Semim GM, Souza MCBM, Corrêa AK. Professor como facilitador do processo ensino-aprendizagem: visão de estudante de enfermagem. Rev Gaúcha Enferm. Porto Alegre (RS). 2009;30(3):484-91.

(17) Noro LRA, Farias-Santos BCS, Sette-de-Souza PH, Pinheiro IAG, Borges REA, Cruz RKS, et al. Revisiting the Basic Cycle: Prospects by Undergraduates’ Students of a Brazilian Dentistry School. Pesqui Bras Odontop Clin Integr. 2019; 19(1):e3901.

(18) Lage RH, Almeida SKTT, Vasconcelos GAN, Assaf AV, Robles FRP. Ensino e Aprendizagem em Odontologia: Análise de Sujeitos e Prática. Rev Bras Edu Med. 2017; 41 (1): 22-9.

(19) Borges MC, Miranda CH, Santana RC, Bollela VR. Avaliação Formativa e aprendizado na saúde. Medicina (Ribeirão Preto). 2014;47(3):324-31.

(20) Deus JM, Alves DRN, Figueiredo RR, Silva MMM, Amaral AF, Bollelal VR. Aula centrada no aluno versus aula centrada no professor: Desafios para a mudança. Rev Bras Educ Med. 2014, 38(4):419-26.

(21) Borges REA, Noro LR. Coerência entre editais de concurso público para professores e Diretrizes Curriculares dos cursos de Odontologia. Rev ABENO. 2016; 16(4):29-39.

(22) Lazarin CA, Francischetti I. Educação Permanente: uma ferramenta para o desenvolvimento docente na graduação. Rev Bras Educ Méd. 2010;34(4):481-6.

(23) Brehmer LCF, Ramos FRS. Experiências de integração ensino-serviço no processo de formação profissional em saúde: revisão integrativa. Rev Eletr Enferm. 2014; 16(1):228-37.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v20i1.901

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274