Sinais específicos em Libras para o ensino odontológico

Lorena de Sousa Silva, Jéssica Girlaine Guimarães Leal, Gerson Ramalho Junior, Marco Antonio Dias da Silva, Andresa Costa Pereira

Resumo


Diversas iniciativas governamentais têm sido realizadas para promover a inclusão de pessoas surdas no ensino superior. Entretanto, o ingresso de um estudante surdo em um curso de Odontologia é de extrema complexidade, devido a vários motivos, dentre eles a carência de termos odontológicos em Libras. O objetivo deste trabalho foi criar e disponibilizar sinais odontológicos específicos em Libras. Uma equipe multidisciplinar selecionou os quinze primeiros termos a serem criados, os quais tiveram seus conceitos e explicações técnicas demonstrados para um docente surdo. Em seguida, o professor criava o sinal, que era registrado por vídeos e fotografias. Os dados técnicos da sinalização foram descritos detalhadamente e em seguida publicados junto às fotos e vídeos em sítio web. A criação do site e a disponibilização dos termos odontológicos específicos em Libras caracteriza o início de um processo de inclusão e permanência de pessoas surdas no Curso de Odontologia. A continuidade desse trabalho permitirá que os sinais sejam constantemente criados e adicionados ao glossário, a fim de auxiliar o ensino de pessoas surdas e aperfeiçoar a atuação do tradutor/interprete de Libras, contribuindo de forma pioneira para a formação de futuros cirurgiões dentistas surdos.


Palavras-chave


Odontologia. Linguagem de Sinais. Inclusão Educacional. Instituições Acadêmicas.

Texto completo:

PDF

Referências


Giroto CRM, Martins SESO, Lima JMR. Inserção da disciplina libras no ensino superior. J Res Spec Educ Needs. 2016; 16(1):662-5.

Santana AP. A inclusão do surdo no ensino superior no Brasil. J Res Spec Educ Needs. 2016;16(1):85-8.

Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para assuntos Jurídicos. Lei 10.436 de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras e dá outras providências [Internet]. Diário Oficial [da] União. Brasília, DF; 2002 [Acesso em 18/06/2017]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/l10436.htm

Brasil. Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 5.626, de 22 de dezembro de 2005. Regulamenta a Lei no 10.436, de 24 de abril de 2002, que dispõe sobre a Língua Brasileira de Sinais - Libras, e o art. 18 da Lei no 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Diário Oficial [da] União [Acesso em 18/06/2017]. Disponível em: http://www. planalto.gov.br/ccivil_03/_ato20042006/2005/decreto/d5626.htm

Moreira LC, Ansay NN, Fernandes SF. Políticas de acesso e permanência para estudantes surdos ao ensino superior. Rev Teor Prát Educ. 2016;19(1):49-60.

Rocha LRM, Santos LF. O que dizem os estudantes surdos da Universidade Federal de Santa Maria sobre a sua permanência no ensino superior. Práxis Educativa. 2017; 12(3):1-22.

Bisol CA, Valentini CB, Simioni JL, Zanchin J. Estudantes surdos no ensino superior: reflexões sobre a inclusão. Cad Pesqui. 2010; 40(139):147-72.

Daroque SC. Alunos surdos no ensino superior: uma discussão necessária. [Dissertação]. Piracicaba: Universidade Metodista de Piracicaba; 2011.

Lima VLS. Língua de sinais: proposta terminológica para a área de desenho arquitetônico. [Tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2014.

Oliveira YCA, Costa GMC, Coura AS, Cartaxo RO, França ISX. A língua brasileira de sinais na formação dos profissionais de Enfermagem, Fisioterapia e Odontologia no estado da Paraíba, Brasil. Interface (Botucatu). 2012; 16(43):973-86.

Ramos TS, Almeida MAPT. A importância do ensino de Libras: relevância para profissionais de saúde. Id on Line. 2017; 10(33):116-26.

Pereira RM. Percepção das pessoas surdas sobre o processo de comunicação no atendimento odontológico. [Graduação]. Natal: Universidade Federal do Rio Grande do Norte; 2015.

Silva MC, Rodrigues WE. Acessibilidade no tratamento odontológico do paciente surdo. Rev CROMG. 2015; 16(1):12-8.

Mendonça DS. Atendimento odontológico ao surdo. [Graduação]. Porto Velho: Faculdade São Lucas; 2015.

Esmeraldo MRA. Percepção de surdos que receberam informações sobre saúde bucal na linguagem oral e na linguagem de libras. [Tese]. São Paulo: Universidade Cruzeiro do Sul; 2015.

Sagário J, Gomes MPV, Botelho MPJ. Uma proposta para melhorar a comunicação entre profissionais de odontologia e o paciente surdo. In: Anais da 6ª mostra interna de trabalhos de iniciação científica, 2012. p. 1-14.

Capovilla FC, Raphael WD. Dicionário enciclopédico ilustrado trilíngue da língua brasileira de sinais. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2001.

Felipe TA, Lira GA. Dicionário da Língua Brasileira de Sinais – Libras. Rio de Janeiro, Acessibilidade Brasil - CORDE. Versão 2.0, 2005.

Ferreira-Brito L. Por uma gramática de língua de sinais. Tempo Brasileiro UFRJ. Rio de Janeiro, 1995.

Vales LS. Pequeno dicionário regional de Libras para artes. [Especialização]. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2008.

Sousa SF, Silveira HE. Terminologias Químicas em Libras: A utilização de sinais na aprendizagem de alunos surdos. Química Nova na Escola, 2011; 33(1):37-46.

Oliveira JS, Stumpf MR. Desenvolvimento de glossário de Sinais Acadêmicos em ambiente virtual de aprendizagem do curso Letras-Libras. Informática na Educação: teoria e prática. 2013; 16(2):217-228.

Ribeiro DP. Glossário bilíngue da língua de sinais brasileira: criação de sinais dos termos da música. [Dissertação]. Brasília: Universidade de Brasília; 2013.

Benassi CA, Duarte AS. Além dos sentidos: glossário de termos e conceitos da área musical em Libras. Rev Diálogos. 2016; 4(1):9-25.

Kuhn TCG. Processo de criação de termos técnicos em libras para engenharia de produção. [Dissertação]. Ponta Grossa: Universidade Tecnológica Federal do Paraná; 2014.

Moreira FSR. A língua de sinais brasileira (Libras) na educação de surdos uma proposta para a elaboração de glossário de matemática. In: Trabalhos do 6º EBREM, Brasília, 2014. p. 1-11.

Vargas JS, Gobara ST. Elaboração e utilização de Sinais de Libras para os conceitos de Física: Aceleração, Massa e Força. R Bras Ensi Ci Tecnol. 2015; 8(2):129-44.

Dantas MM, Pereira PTS, Leite RCL, Carvalho LCM, Onofre E. Criação de sinais libras biológicos para o conteúdo de membrana plasmática. In: Anais do 2º CINTEDI, Campina Grande, 2016. p. 1-9.

Garcia KFL, Silva TA, Silva TA, Junior IQS. Sinais específico em libras: curso técnico em edificações e superior em engenharia civil. In: Resumos expandidos da 13ª semana de licenciatura. 2016. p. 396-401.

Miranda IM, Mourão VLA, Gediel ALB. As tecnologias da informação e comunicação (TICs) e os desafios da inclusão: a criação de aulas sinalizadas no contexto do ensino superior. Periferia. 2017; 9(1):243-62.

Gediel ALB, Soares CP, Oliveira CLR. O ambiente virtual como aliado no processo de ensino e aprendizagem da Libras. (Con) Textos Linguísticos. 2016; 10(16):24-37.

Omote S. Atitudes em relação à inclusão no ensino superior. J Res Spec Educ Needs. 2016; 16(1):211-5.




DOI: https://doi.org/10.30979/rev.abeno.v18i2.533

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

ISSN Impresso: 1679-5954

ISSN Online: 2595-0274